Adema investe na informatização do processo de licenciamento

0

A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) deu início aos trabalhos de geoprocessamento na emissão de licenças ambientais. O sistema garantirá que as licenças, que hoje já são documentadas, tenham uma referência geográfica de localização, evitando assim a emissão delas para uma mesma área.

A mestra em geociências e coordenadora do geoprocessamento do órgão, Flávia Oliveira, explica que o georreferenciamento é uma técnica que utiliza as coordenadas geográficas de uma determinada área, através do Sistema de Posicionamento Global (GPS), como dados processados e associados a informações dos mais diversos campos de interesse.

Para o licenciamento, por exemplo, o processo informa previamente quando um empreendimento pode ou não ter a licença concedida de acordo com a legislação ambiental vigente. “O georreferenciamento é importante porque permite que as licenças não sejam sobrepostas, já que ele torna possível a visualização daquelas que já foram emitidas para uma área específica”, esclarece Flávia Oliveira.

A técnica que associa geografia e informatização (geotecnologias) contribui ainda para o mapeamento do uso e ocupação do solo, permitindo assim o conhecimento real das áreas protegidas por lei, e evitando a emissão de licenças para a utilização delas. “É mais fácil gerenciar as informações de uma área que pode ter sua utilização autorizada quando a mesma tem uma referência geográfica de localização”, explica Flávia.

“O georreferenciamento é um grande passo na informatização do processo de licenciamento aqui em Sergipe”, afirma o presidente da Adema, Genival Nunes. Ainda de acordo com o presidente, a novidade fará parte da rotina do órgão, mas não apenas na emissão das licenças. Em um futuro próximo, o sistema servirá também para o desenvolvimento de pesquisas relacionadas à atuação da Adema e no zoneamento ambiental.

Comentários