Ambulantes terão que sair de área em frente ao Huse

0

Indignada, ambulante exibe notificação entregue pela Emsurb (Foto:Carluz Lima

Isabela lamenta e diz que precisa do trabalho para manter sua família (Foto: Carluz Lima)

Marcos Ferreira diz que gostaria que o seu trabalho fosse regularizado para que o próprio município aumentasse sua receita (Foto: Carluz Lima)

Documento determina saída de ambulantes em até 72h (Imagem: Reprodução)

Os ambulantes que vendem lanches nas proximidades do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) receberam nesta sexta-feira, 11, uma notificação da empresa Municipal de Serviços Urbanos) para que deixem o local até a próxima quarta-feira, 16. O documento entregue aos ambulantes diz que o motivo da remoção é falta de registro para comercialização naquele espaço.

O ambulante Marcos Ferreira diz que gostaria de ter o seu trabalho regularizado. "A gente queria fechar com a prefeitura que tudo fosse cadastrado e nosso negócio fosse totalmente legalizado. Assim a gente sairia da clandestinidade e ajudaria a aumentar a receita do Município", comenta.

De acordo com os ambulantes, uma equipe do Emsurb esteve no local, pedindo para que eles assinassem um documento que regularizaria a situação. “Não precisava eles virem com mentira, pedindo para a gente assinar um papel que ia regularizar o local, sendo que eles vão tirar a gente daqui. Todo mundo assinou isso aqui enganado porque eles mentiram pra gente”, lamenta Isabela Souza, uma das vendedoras do local.

Isabela, que estava há algum tempo sem trabalho fixo, conta que sustenta sua família com a renda do comércio.“É daqui que eu tiro o pão de cada dia da minha casa. Sou mãe de família. Eu preciso disso. Não tem porque tirarem a gente daqui” reclama.

A versão de terem sido enganados também foi confirmada por Leandro Conceição, um outro vendedor do local “Aí ele [fiscal] pegou e disse assim ‘não, pode assinar que aqui é um papel para vocês ficarem aqui, que é pra você garantir seu pão’ aí eu vi que todo mundo assinou eu fui lá e assinei”.

Os ambulantes que trabalham no local dizem que não irão sair do local. “De jeito nenhum eu pretendo sair daqui. Não vou sair de jeito nenhum, que eu tô cansada de tanta humilhação”, desabafa uma outra ambulante que preferiu não se identificar.

A Emsurb negou que não tenha avisado aos ambulantes e disse que a ação somente foi feita devido uma solicitação feita pela diretoria do Huse. A Emsurb disse ainda que acredita que não será necessário tomar medidas de força para a remoção dos ambulantes do local, mas se houver, o material vendido será apreendido.

A equipe do Portal Infonet não conseguiu manter contato com o Huse para saber as razões da solicitação feita à Emsurb. A equipe de reportagem permanece à disposição pelo 2106-8000 ou pelo jornalismo@infonet.com.br.

Por Carluz Lima e e Verlane Estácio

Comentários