Aracaju terá 100 ônibus novos até agosto

0

Reunião no MP garantiu a renovação da frota de ônibus da capital

Parte da frota de ônibus do sistema de transporte coletivo da capital será renovada até agosto deste ano. Foi o que ficou decidido em audiência pública no Ministério Público Estadual (MPE), na manhã desta terça-feira, 30.

Em janeiro deste ano os oito empresários das viações que prestam este tipo de serviço em Aracaju assinaram documento na Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) comprometendo-se a pôr 100 novos ônibus em circulação até junho, compromisso que não foi cumprido até o fim do mês estabelecido. 

Ficou definido também que a SMTT e o Detran irão, no prazo de 10 dias, apresentar ao MPE um relatório da frota de ônibus em circulação na capital, detalhando a idade dos veículos e as condições de uso.

A reunião contou com a presença das promotoras Alessandra Pedral, Euza Missano e Berenice Andrade, e dos representantes do Sindicato das Empresas do Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp), da Superintendência Municipal de Tranporte e Trânsito (SMTT) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

O representante do Setransp, José Carlos Amâncio
Ônibus adaptados para maior acessibilidade

De acordo com o superintendente do Setransp, José Amâncio, 100 novos ônibus estão em fase de compra e deverão ser disponibilizados à população até agosto deste ano. Atualmente trafegam em Aracaju cerca de 550 ônibus; destes, 163 veículos já têm entre 14 e 16 anos de funcionamento.”O Setransp garante que 100% dos ônibus comprados estarão adaptados para acessibilidade de pessoas com deficiência e idosos”, diz o representante do órgão, José Carlos Amâncio.

Ainda na próxima quarta-feira, 1º, o sindicato irá enviar um comunicado às empresas de transporte, notificando a necessidade de renovação da frota. Em 10 dias, um cronograma de renovação será apresentado ao Ministério Público. Na primeira semana de agosto, uma nova reunião entre as entidades irá ocorrer para garantir o cumprimento da ordem judicial.

Comentários