Atendimento do INSS na avenida Ivo do Prado será transferido

0

Nara Martinuzzi
Com a presença da gerente regional do INSS (Região IV), Nara Regina Martinuzzi, a Gerência Executiva do órgão em Sergipe anunciou nesta sexta-feira, 30, as reformas das agências da Previdência Social, localizada na avenida Ivo do Prado, e as das cidades de Estância e Lagarto. Com isso, o atendimento da agência em Aracaju será transferido para o prédio central do INSS.

De acordo com a Gerência Executiva, a mudança deverá ocorrer ainda no mês de dezembro. O atendimento da agência da Ivo do Prado será transferido para o segundo andar do prédio central. Em Estância, será alugado um prédio. Em Lagarto, o atendimento também será transferido para o segundo andar da agência no município. “A nossa intenção é não expor o servidor e o segurado há algum acidente”, disse Augusto Fábio Oliveira, gerente executivo do INSS em Sergipe.

Além das reformas, a gerente regional Nara Martinuzzi anunciou a aquisição de seis novos veículos para ser utilizados em ação nos municípios onde não tem agência do órgão. “Transportar os médicos peritos e os servidores para fazer as ações nas localidades”, resumiu.

Canais remotos

Augusto Fábio, gerente do INSS em Sergipe
Martinuzzi destacou o avanço no acolhimento aos beneficiários do INSS com a criação dos chamados ‘canais remotos’, que inclui o atendimento pela internet no site ou pelo telefone 135, que segundo ela, acabou com a fila física. “Após a implantação desse sistema, no primeiro momento, tivemos a fila virtual. Começamos a trabalhar agenda e conseguimos regularizar”, frisou.

“Os canais remotos, tanto a internet quanto o 135, agilizaram o acolhimento, porque hoje de qualquer telefone, a pessoa liga gratuitamente e agenda o seu atendimento. São ações que deixam a previdência mais próxima dos beneficiários”, afirmou. “Antes se pegava ficha na porta da agência, ocorria venda de fichas, venda do ‘banquinho’, se criou um ‘mercado’, além disso existia uma limitação do atendimento”, revelou.

Agressão ao médico perito

Martinuzzi que gerencia a regional que inclui os Estados da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, também comentou a intensidade de agressões aos médicos peritos do INSS.  “Nessa ‘onda’ de agressões tivemos problemas maiores no interior da Bahia”.

Segundo Martinuzzi, existe uma avaliação dentro do INSS de que as agressões surgiram porque o trabalhador não tinha verdadeiro esclarecimento do papel do médico perito. Para a gerente regional, ocorreu também que houve uma exposição na mídia sobre os fatos que acabou instigando as más condutas. Na agência da Previdência em Aracaju, todos os consultórios médicos tem uma campainha de urgência.

Por Paulo Rolemberg

Comentários