Bares são demolidos na Praia de Aruana

0

No início da manhã desta terça, 15, os últimos três bares da Aruana foram demolidos, por conta de ações no Ministério Público Federal. A procuradora Eunice Dantas, que estava à frente da ação, afirmou que os bares da praia do Sarney, que estão abandonados, também serão demolidos. “Essa está sendo uma ação pacífica, onde os donos dos bares já haviam sido avisados e sabiam que teriam que sair, pois estão em área de preservação e de forma completamente irregular,” explicou.

Para Hercílio José dos Santos, dono do primeiro bar a ser demolido nessa manhã, o tempo dado pelo MPF foi curto. “Recebi no sábado pela tarde o comunicado, como esse dois dias foram só de chuva, não tive tempo de tirar quase nada,” lamentou José, que além de ter o espaço como a única fonte de renda, também morava no local com a esposa Cristiana Luz. “Não sei o que vou fazer da minha vida agora, porque não tenho para onde ir nem onde trabalhar,” afirma Hercílio.

Hercílio José também morava no bar
A moradora do segundo bar conhecida como ‘Ró ‘, não esteve no local durante a derrubada, segundo informações de outros donos de bares, ela retirou tudo que conseguiu no final de semana, mesmo embaixo de chuva.

Já o terceiro bar, que estava em fase de construção, foi derrubado também sem a presença do proprietário, que segundo a procuradora é um estrangeiro, que aparentemente está fora do Brasil, pois não foi possível encontrá-lo. Como o bar foi construído sem licença e em área de preservação, também foi demolido.

O advogado Geral da União, José  Ricardo Freitas Seixa Pereira, chamou a atenção para as questões ambientais. “Essa área é  de preservação ambiental, a maioria do bares são construídos com as fossas próximos a poços de água onde os dejetos se misturam com a água que eles preparam as comidas, além de poluir a praia onde nossos filhos tomam banho,” comentou.

Licitação

Bar é demolido em menos de cinco minutos
Segundo Agnaldo França, conhecido como Libório, que teve seu bar demolido no ano passado, a procuradora Eunice Dantas, não está cumprindo com as determinações acordadas no próprio Ministério Público, junto com os donos dos bares. “Agora eles estão falando em licitação, para nos entregar os bares que estão sendo construídos pela prefeitura e que são nossos,” alegou Libório, que também afirma que o prefeito Edvaldo Nogueira, garantiu aos proprietários que eles teriam os bares de volta.

“Não estamos entrando em atrito, estamos aceitando as determinações e as derrubadas por que tínhamos um acordo perante a Justiça, estamos cumprindo nossa parte e espero que eles cumpram a deles,” acrescentou seu Libório.

Diante das afirmações dos donos dos bares, a procuradora Eunice Dantas, declarou que a questão da licitação é determinação do Ministério de

Procuradora Eunice Dantas

Planejamento. “Nós estamos buscando um meio legal para resolver tal situação”, garante.

Derrubadas

A ação teve início no ano de 2000, mas só dois anos após os bares começaram a ser demolidos. Em 2002 e 2003 foram derrubados 20 bares em condições irregulares. Pois além de se caracterizar invasão de área pública, nenhum bar tinha licença ambiental. A partir de 2007 mais 23 bares começaram a ser demolidos, restando apenas os três que foram derrubados nessa manhã. Ao todo foram retirados do local 43 bares irregulares.

Por Alcione Martins e Aldaci de Souza

Comentários