Brejo Grande proíbe venda e queima de fogos de artifício e fogueiras

0
As medidas fazem parte das ações de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus (Foto: Pixabay)

A Prefeitura de Brejo Grande, por meio do decreto nº 38/2020, proibiu a comercialização e a soltura de fogos no município, além do acendimento de fogueiras em espaços públicos e privados durante o período junino de 2020. As decisões foram adotadas como parte das ações de enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus.

Ao justificar a decisão, a Prefeitura de Brejo Grande explicou que considerou os potenciais impactos causados por acidentes com fogos de artifícios, fogueiras e intoxicações por fumaça, que tradicionalmente ocorrem nos períodos juninos, e tendem a estressar ainda mais os serviços de saúde, que já se encontram abarrotados no mês de junho, em razão do atendimento às pessoas afetadas pelo COVID-19.

A Prefeitura citou também que “ainda se faz desaconselhável, de acordo com autoridades sanitárias nacionais e internacionais, adotar práticas possam comprometer a eficácia do isolamento social, considerando a acentuada curva ascendente da contaminação pelo COVID-19”.

Outra medida, conforme a Prefeitura, que resultaram na publicação do decreto foi a queda na arrecadação dos municípios, e ainda o acesso aos hospitais públicos, os números de leitos e Unidades de Tratamento Intensivo – UTI’s.

O documento informa ainda que os órgãos licenciadores municipais devem suspender os alvarás que foram concedidos antes da publicação, bem como recusar a emissão de alvarás que permitam o funcionamento das atividades que estão vedadas a partir de agora.

Até a última quinta-feira, 18, Brejo Grande registrou sete casos confirmados de Covid-19. Na quarta-feira, 17, o índice de isolamento social foi de 42%, número considerado baixo.

Estância

Outro município que também proibiu venda de fogos de artificio durante o período junino de 2020 foi Estância. Também foi proibida a soltura dos tradicionais barcos de fogo e recomendado o não acen dimento de fogueiras na região.

 

por Juliana Melo e Verlane Estácio

Comentários