Cambistas lucram com venda antecipada de blocos e ingressos para shows

0

Cambistas marcam presença em shopping da capital
Com a chegada do Pré-Caju e das festas dos blocos da prévia, muitas pessoas se antecipam e compram os kits mais procurados pelo público para, posteriormente, vendê-los por um preço acima do da compra. São os chamados cambistas.

 

Muitos acreditam que esse trabalho prejudica a venda feita pela organização dos eventos, mas há quem afirme o contrário. “A maior parte das nossas vendas é feita logo no início da divulgação do evento, por ser um preço mais acessível ao público. Os últimos lotes são comprados por uma pequena

parcela da população. Os cambistas são pessoas que já compraram os blocos com antecedência e estão vendendo os ingressos que receberam como brinde, não nos prejudicando. Além disso, há a facilidade da compra com cartão de crédito aqui na loja”, afirma um dos funcionários da Central do Pré-caju que não quis ser identificado.

 

Lázaro de Santana é cambista há mais de dez anos e afirma ser este um  trabalho bastante arriscado. “No caso do Pré-Caju, normalmente temos lucro porque os ingressos que ganhamos com

Lázaro é cambista há 10 anos e afirma que profissão é arriscada
a compra dos blocos são vendidos pelo preço dos próprios organizadores e, até mesmo, mais barato. Somente no ano passado tive um prejuízo de R$ 2000 porque um dos blocos mais procurados da prévia podia ser adquirido pela troca de notas fiscais”, explica Lázaro.

 

O baiano Antônio da Conceição também está nessa profissão há mais de 15 anos e afirma que, logo no início da vendas dos blocos, ele e mais quatro amigos se reúnem para comprar os abadas e vender na semana da prévia por um preço maior. “Muitas pessoas não vêem com honestidade o nosso trabalho, mas o nosso papel é estabelecer um preço. Compra quem quiser. No início, vendemos mais barato porque ganhamos os ingressos com a compra dos blocos, mas depois, quando a própria empresa diz que a venda está esgotada, aumentamos porque sabemos que muitas pessoas querem comprar”, diz Antõnio.

 

O estudante Felipe Takai explica que compra os ingressos com os cambistas porque é sempre possível fazer uma negociação, já que a maioria dos ingressos deles é brinde. “À exceção do dia do show, eles sempre vendem mais barato porque não têm o que perder. Qualquer valor que eles coloquem, estarão no lucro. Na maioria das vezes, negocio o preço com eles e acabo saindo no lucro. Hoje mesmo, comprei o ingresso do Nana por R$ 30, enquanto a loja e os cambistas estão vendendo a R$ 40”, diz.

 

Já a estudante Manuelle Fonseca prefere comprar os ingressos nos pontos de venda pela facilidade de pagamento. “Sempre compro mais de quatro ingressos para ir com a turma inteira. Então, prefiro comprar diretamente na loja porque há possibilidade de parcelamento no cartão de crédito. Com os cambistas, o ingresso tem que ser pago á vista e nem sempre estou com o dinheiro em mãos”, explica.

 

De acordo com os cambistas entrevistados, o lucro estimado durante a venda de blocos e ingressos para shows referentes à prévia sergipana é cerca de 70%. “Compro apenas os blocos mais procurados, que têm suas vendas esgotadas antes da festa. Como muitas pessoas querem ir, compram pelo preço que estabelecemos, mas claro que o cliente sempre pode negociar”, diz Antônio da Conceição.

E você caro internauta, costuma comprar ingressos com cambistas ou prefere as facilidades dos pontos oficiais de venda? Participe dando sua opinião, basta clicar no link “Comentar Matéria” logo abaixo.

Por Jéssica Vieira e Carla Sousa

Comentários