Caminhada da CUT reúne sindicalistas

0

O ato público saiu da Praça da Bandeira
O direito a greve foi uma das pautas de reivindicações que estiveram em evidência na tarde desta quarta-feira, 16, na caminhada realizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). A concentração foi na Praça da Bandeira, Centro da Capital, e reuniu trabalhadores dos Correios que estão em greve, professores das redes municipais e estaduais que paralisaram as atividades somente nesta quarta, além de funcionários do Tribunal de Justiça de Sergipe que prometem entrar em greve na próxima segunda-feira, 21.

Para o presidente da CUT, Rubens Marques, o direito a greve não vem sendo respeitado pelo judiciário sergipano. “Estamos lutando contra a criminalização do direito a greve. Repudiamos as decisões do Tribunal de Justiça de Sergipe que tem decretado todas as greves como sendo ilegais. Vamos convocar a OAB para dialogar sobre as decisões”, explica Rubens Marques destacando que vai debater com a sociedade sobre a fiscalização do judiciário.

O presidente do Sintese, Joel Almeida e o Rubens Marques da CUT
“O poder judiciário também erra. Queremos saber quem fiscaliza esse poder porque o direito a greve tem sido censurado pelo Tribunal de Justiça de Sergipe”, questiona o presidente da CUT.

Também presente a mobilização o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese), Joel Almeida, afirmou que o dia de paralisação da categoria serve para fortificar o movimento. “A pauta de reivindicação é extensa, lutamos contra a criminalização da greve, pela lei do piso e da gestão democrática, além de reformas nas escolas”, conta.

O presidente do sindicato dos Correios reformou a importância da luta. “Nós estamos lutando para que todos os trabalhadores também tenham direito a greve. A nossa greve começou hoje e não tem previsão para acabar porque queremos que a empresa abra a negociação com os trabalhadores”, disse Sérgio Lima.

Presidente do sindicato dos trabalhadores do tribunal, Hélcio Albuquerque
Servidores da Justiça

Os servidores do Tribunal de Justiça de Sergipe também vão entrar em greve. De acordo com o presidente do sindicato, a categoria se reúne na próxima segunda-feira, 21. “Vamos está reunidos na segunda-feira em frente ao Fórum Gumercindo Bessa para cobrar a reposição salarial até 2011, além de um aumento a cada dois anos de 6% entre todos os níveis”, explica Hélcio Albuquerque.

Sindipema

O sindicato dos professores da rede municipal de ensino realizou assembléia na manhã desta quarta-feira, 16. A

Professores da rede municipal de ensino foram a câmara de vereadores e conseguiram sessão especial

categoria saiu em passeata com destino a Câmara de Vereadores de Aracaju. ”Vamos cobrar dos vereadores uma posição quanto a implementação do piso salarial dos professores. Na proposta apresentada pelo Prefeito tivemos perdas que chegam a 55,68%”, confirma a presidente do Sindipema, Maria Elba da Silva.

Uma comissão de vereadores foi até a porta da câmara e concedeu uma sessão especial, marcada para segunda-feira, 21, pela manhã para que os professores apresentem suas propostas.  

Por Kátia Susanna

Comentários