Caminhada lembra o Dia do Trabalhador

0
Movimentos lembram o Dia do Trabalhador (Fotos: Portal Infonet) 

Uma caminhada pelo centro de Aracaju, realizado por movimentos socais e partidos políticos de esquerda, lembraram o dia 1º de maio. De acordo com Vera Lúcia, presidente do PSTU, a caminhada em caráter de protesto é para marcar a data de luta e de conquista do povo brasileiro. “O dia 1º de maio, não é um momento de festa, mas de sim de lutar pelos direitos dos trabalhadores”, falou. A concentração aconteceu na Praça Camerino e partiu em caminhada até o calçadão da João Pessoa.

Vera Lúcia ressaltou que a caminhada tem o objetivo de chamar atenção do atual governo para a redução da jornada de trabalho sem redução de salário e perdas de direitos dos trabalhadores, ela ainda chama atenção para o salário mínimo nacional de R$545. “Enquanto o trabalhador ganha R$545, um deputado ganha $R20 mil, como podemos ficar calado diante desta situação”, frisou.

Segundo Djenal Prado, diretor do Coluntas, o sindicato apóia a causa dos trabalhadores, e está  unido com os outros sindicatos e movimentos para fortalecer ainda mais a luta. “Estamos de braços dados em prol dos  trabalhadores”, afirmou.  

Djenal Prado e Vera Lúcia

Para o presidente do Psol, Alex Pedrão, este dia é voltado para o diálogo com todos os trabalhadores, que querem seus direitos assegurados e condições favoráveis de trabalho.  

Fizeram parte da manhã de protesto, a CSP-Coluntas, Anel, Sindipetro AL/SE, Sidicagese, Sintes, Senalba, PSOL, PCB e PSTU. A caminhada lembrou também questões como repressão aos movimentos sociais, o corte de verbas do Governo Federal em áreas sociais e situação da saúde Pública em Sergipe.  

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais