Caravana discute os riscos da transposição do São Francisco

0

A Caravana contra transposição do Rio São Francisco esteve hoje, 31, em Aracaju, para apresentar e alertar sobre os problemas que a obra de transpor as aguas poderá causar ao rio. O primeiro debate do grupo aconteceu no auditório do Ministério Público de Sergipe, que recebeu um pequeno público. O grupo é composto por 12 pessoas entre técnicos especialistas, religiosos, jornalistas, integrantes dos movimentos sociais e do Comitê da Bacia do São Francisco.

Durante a quase duas horas de discussão foram apresentadas as problemáticas do projeto de transposição e os males que causarão tanto a vida do rio quanto a dos moradores dos Estados banhados pelo ‘Velho Chico’. No encontro, o ex-governador João Alves fez uma palestra sobre os riscos da obra.

Apolo Lisboa

“Não dar para aceitar a transposição”, afirmou o coordenador da Caravana, Apolo Henriger Lisboa, enfatizando que a população deve ser alertada sobre os impactos negativos do projeto do Governo Federal de transpor as águas do ‘Velho Chico’. Para ele, a transposição do São Francisco não resolverá os problemas da seca e ainda trará impactos ambientais, econômicos, políticos e sociais negativos para o Nordeste.

 

Comentários