Casas abandonadas causam transtornos na rua Maruim

0

Casa está sendo demolida, mas encontra-se totalmente aberta (Fotos: Portal Infonet)
Duas casas abandonadas estão causando transtornos aos moradores da rua Maruim, no bairro Cirurgia. Eles reclamam que as unidades de números 1590 e 1.604 foram compradas em dezembro do ano passado pela Construtora M. Mattos para a construção de um prédio, só que os serviços de derrubada das paredes foram iniciados, mas paralisados. Com isso, os imóveis estão servindo de esconderijo de marginais e de ponto de uso de drogas. Na construtora a informação é de que as providências serão tomadas.

“Eu moro aqui há 43 anos. A rua era tranqüila até que essa casa aqui vizinha foi vendida para a Construtora M. Mattos que começou os serviços de demolição para construir um prédio, só que parou a obra. Quando chove, a laje junta água e causa infiltrações na minha garagem. Sem contar com os marginais que estão entrando, usando drogas e

D. Derivalda: “Estou gastando para colocar cerca elétrica”
fazendo necessidades fisiológicas. Ninguém suporta o mau-cheiro”, reclama Célia Ferreira.

“O perigo está tão grande, que resolvi instalar uma cerca elétrica para barrar os marginais, um investimento de cerca de mil reais que estava totalmente fora do meu orçamento. Meus filhos trabalham à noite e chegam de madrugada, podendo serem abordados pelos marginais que entram para usar drogas. Meu filho mesmo pegou umas madeiras e passou graxas vedando a porta e a janela da casa menor, que fica bem vizinho à nossa. A gente quer apenas que a construtora isole a área, já que não vai construir agora”, ressalta d. Derivalda Passos.

Vizinhos colocaram tábuas com graxa isolando uma das casas
M. Mattos

Procurada pela reportagem do Portal Infonet, a Construtora M. Mattos informou por meio da engenheira Caroline Dórea que o problema da laje será resolvido ainda esta semana. “Esta semana a laje será quebrada e com isso a água escorre. Quanto ao isolamento da área, não estávamos sabendo que vinha causando transtornos aos vizinhos. O supervisor da construtora, Marco Mattos, está viajando e assim que ele retornar, vou conversar sobre o assunto. E a casa menor, nem foi fechado negócio ainda com a construtora, a dona é que começou a demolição”, explica.

Por Aldaci de Souza

Comentários