Caso Marcele: Laudo emitido pela Fiat é de 134 Km/h

0

Acidente aconteceu na Av. José Sarney (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Após um ano e seis meses do acidente que tirou a vida da estudante Marcele Cristina Ferreira Santos, 19, em 04 de outubro de 2011, a Concessionária Fiat emitiu um laudo dando conta de que a velocidade do veículo no qual a filha do delegado Marcelo Pires, trafegava estava a 134 km/h.

O veículo Siena, cor prata, de placa IAF 0147, estava sendo guiado pelo jovem Leonardo Esquivel, que já foi indiciado por homicídio culposo. De posse do laudo emitido pela concessionária, o advogado de acusação e a família da estudante acreditam na possibilidade de o acusado responder pelo crime de homicídio doloso [com intenção de matar].

“O laudo não foi emitido por nós, mas pela Fiat, que averiguou a velocidade do veículo. Agora, de posse desse laudo, as testemunhas de acusação serão ouvidas e vamos pedir ao juiz da Vara Criminal que remeta o caso para o Tribunal de Júri”, ressalta o advogado de acusação Walter Neto, defendendo que a Vara de Competência para julgar Leonardo Esquivel seja transferida.

De acordo com o advogado de defesa, Evânio Moura, o próprio Tribunal de Justiça já descartou o crime doloso. “Desde o início que a defesa está querendo transferir para o Tribunal de Júri, mas o Tribunal de Justiça já se pronunciou dando conta de que não existe dolo. Como teve dolo se o Leonardo era amigo da moça? Esse laudo sequer está no processo e me causa estranheza que seja feito um laudo. Mas, como não conheço o laudo, não quero fazer juízo de valores”, enfatiza Evânio Moura.

O acidente aconteceu na tarde do dia 04 de outubro de 2011, na rodovia José Sarney, quando a estudante universitária retornava da praia com a irmã e o colega Leonardo Esquivel.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais