Caso Sabrina: morte da adolescente completa três meses

0

Sabrina Pinheiro/Foto:Arquivo Pessoal
Indignação, saudade e revolta. A adolescente Sabrina Pinheiro, de 16 anos, foi morta quando passeava em companhia do namorado, também menor de idade, que dirigia o carro da família. O fato aconteceu quando o namorado da jovem fugiu de uma abordagem policial porque dirigia sem habilitação. Policias atiraram contra o veículo e um dos disparos atingiu a nuca de Sabrina que não resistiu aos ferimentos e morreu. 

O caso chocou a população do município de Tobias Barreto, a 105 quilômetros de Aracaju. Mas levantou a questão sobre os perigos dos jovens na direção. De acordo com populares é comum encontrar adolescentes dirigindo nas ruas do município onde o fato aconteceu.

Em entrevista a Ilha FM na última quinta-feira, 3, o tio da adolescente afirmou que o então namorado, um menor de 16 anos, continua dirigindo pelas ruas do município. O parente de Sabrina disse ainda que a família está indignada com a situação e pede para que as autoridades fiscalizem essa prática, destacando que o caso da sobrinha deveria servir de exemplo para outros jovens.

Responsabilidade

Os perigos do trânsito
Para o diretor de operações do Detran, Aristóteles Fernandez os pais são responsáveis. “Se um menor for pego dirigindo o veículo será apreendido e os pais serão responsabilizados pelos atos, a lei não permite que ninguém dirija sem habilitação”, ressalta.

Uma pesquisa inédita feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), feita em 2005 com mil jovens mostrou que um em cada cinco adolescentes brasileiros entre 16 e 17 anos estão dirigindo mesmo sem idade para ter carteira.   

Em Sergipe, apesar de não existir nenhuma pesquisa referente ao assunto é comum encontrar jovens dirigindo, o que segundo o psicólogo Augusto Cesar Mendonça se constitui em um perigo para toda a sociedade.

O psicólogo Augusto Cesar Mendonça ressalta que jovens não têm maturidade para dirigir
“A juventude é uma fase de transição e por isso a pessoa não tem maturidade suficiente para enfrentar o trânsito. A falta de maturidade também pode levar o adolescente a agir sem atenção ou até mesmo fica difícil controlar os seus impulsos tanto na condução da velocidade do veículo como em uma possível briga de trânsito”, lembra.

O psicólogo diz ainda que o fato de um adolescente estar dirigindo sem habilitação já é considerado uma situação de risco. “A imaturidade do jovem faz com que ele seja inseguro e a insegurança leva uma situação de ansiedade. Se esse jovem for abordado à tendência é fugir, podendo até causar acidentes”, esclarece.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais