CEI de Tobias Barreto iniciou sorteios

0

Empresários participam de reunião((Foto: Ascom/Codise)
O sonho de empresários do setor de confecção do município Tobias Barreto, distante 127km de Aracaju, está cada vez mais perto de se tornar realidade. Aconteceu na última quarta-feira, 23, o sorteio inicial de galpões que irão ocupar o primeiro Complexo Empresarial Integrado(CEI), um projeto do governo para a descentralização da economia sergipana, visando levar desenvolvimento e renda ao interior do Estado. Na reunião, que aconteceu na sede do Sebrae do município, 11 empresários, com projetos aprovados pela Codise, foram contemplados.

“Nossa incumbência é levar o desenvolvimento onde o povo está. E Tobias Barreto, com sua tradição comercial reconhecida, é um ótimo exemplo de que o Governo do Estado, através da SEDETEC, via Codise reconhece as potencialidades do nosso povo e investe nela”, avaliou o secretário Zeca da Silva, do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e da Tecnologia (SEDETEC).

O CEI de Tobias Barreto abrigará 32 empresas com previsão de entrega dos galpões até o final deste ano. No espaço, as indústrias poderão, além de produzir, comercializar os produtos em área reservada para este fim, e contam também com postos de serviços como Correios, banco, Balcão Sebrae, dentre outros.

Galpões estão sendo contruídos para os empresários(Foto: Ascom/Codise)
Para certificar a qualidade da mão de obra, a proposta do CEI é ter em cada unidade um Centro Vocacional Tecnológico (CVT), com ensino profissionalizante voltado para a difusão de conhecimentos práticos na área de serviços técnicos e para a transferência de conhecimentos tecnológicos na área de processos produtivos.

A Codise segue recebendo o projeto técnico,econômico e financeiro até o final de fevereiro. O empresário que entregar o projeto primeiro terá prioridade na escolha do galpão e uma nova reunião já foi marcada para 16 de março.

O Governo de Sergipe, ao implantar os CEIs, tem como objetivo incrementar os Arranjos Produtivos Locais (APLs), o incentivo às potencialidades de cada região, à construção de ambiente favorável à atração de capital e o aumento da interação e cooperação entre produtores, além da promoção da inovação tecnológica.

Fonte: Ascom/Codise

Comentários