Chuvas: Defesa Civil isola 14 prédios com risco de destelhamento

0
Defesa Civil também recolhe as árvores que caíram na cidade (Foto: Felipe Goettenauer/Secom PMA)

A Defesa Civil do Município de Aracaju contabiliza os fortes impactos do temporal registrado na quinta-feira, 22. Nesta sexta-feira, as equipes retornaram aos bairros Santa Maria e 17 de Março, onde 30 prédios de habitação popular, com 120 apartamentos, foram vistoriados. O resultado é preocupante: 14 prédios tiveram a área externa interditada em decorrência do risco de destelhamento em função dos fortes ventos e outras oito casas foram avariadas, com desabamento parcial e total do teto destes imóveis. Duas famílias ficaram desalojadas e foram transferidas para casa de parentes na própria capital sergipana, segundo informações do major Sílvio Prado, coordenador geral da Defesa Civil de Aracaju.

A Defesa Civil garante que todos os imóveis avariados serão recuperados, de acordo com as prioridades estabelecidas em função dos riscos. Nesta sexta-feira, 22, a Defesa Civil vistoriou 120 apartamentos nos 30 prédios afetados e a parte externa de 14 prédios está isolada pelo risco de queda do telhado. Em 12 apartamentos, o forro cedeu em decorrência do excesso de água acumulada em função do destelhamento dos imóveis. Em alguns, houve avaria total no forro e em outros, o forro cedeu parcialmente. Conforme o major Sílvio Prado, não há necessidade dos moradores serem retirados dos imóveis afetados, à exceção daquelas duas famílias das duas casas onde houve desabamento completo do telhado. Estas duas famílias já foram transferidas para a casa de parentes.

De acordo com o major, a Prefeitura de Aracaju já contratou uma empresa, através da Empresa Municipal de Obras e Urbanismo (Emurb), para fazer os reparos necessários de acordo com as prioridades elencadas pela Defesa Civil. Os serviços foram iniciados nesta sexta-feira, 22, com atenção para recuperação dos telhados de todos os imóveis afetados. Só após concluir a recuperação dos telhados, a prefeitura seguirá com os serviços para recuperar o forro de todos os apartamentos afetados pelo acúmulo de água que ocorreu em função dos problemas apresentados no telhado dos prédios. Há uma perspectiva de todo o serviço ser concluído entre 15 e 30 dias.

Outras ocorrências foram registradas em decorrência das chuvas, mas são registros de menor impacto, conforme o major Sílvio Prado. Foram registradas queda de duas árvores e inundações de ruas nos bairros 13 de Julho e na Jabotiana em função da maré alta.

Riscos

Nos locais isolados, há risco de queda de telhas. E as condições climáticas continuam instáveis, com previsão de chuvas. Neste mês, até o momento, segundo o major Sílvio Prado, as chuvas atingiram um índice pluviométrico de 60 milímetros, dentro da perspectiva dos órgãos ambientais que aguardam até 100 milímetros nesta época do ano na capital. Para o final de semana, conforme o major, as previsões meteorológicas indicam chuvas de até 8 milímetros em Aracaju.

por Cassia Santana

Comentários