Conselheiros tutelares de Aracaju participam de treinamento

0

(Foto: Semasc)
Representantes dos cinco Conselhos Tutelares de Aracaju participaram nesta quarta-feira, 28, de um treinamento sobre o Sistema de Informações para Infância e Adolescência (Sipia), utilizado para registro e tratamento das informações sobre violação dos direitos assegurados à criança e ao adolescente. A capacitação aconteceu na Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (Emgetis) e foi promovida pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, em parceria com a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc).

O objetivo é contribuir para a construção de um banco de dados nacional sobre a violação dos direitos do público infanto-juvenil. De acordo com o administrador da Rede Estadual do Sipia, Antônio Carlos Cruz, o sistema de informação permite a padronização do atendimento, melhorando a qualidade dos serviços prestados. “O Sipia, além de permitir agilidade no registro de informações, identifica o perfil dos meninos e meninas a serem inseridos num determinado programa social”, explicou.

Ainda segundo ele, esse não foi o primeiro treinamento para utilização do Sipia em Aracaju. “O que estamos demonstrando para os conselheiros tutelares é uma nova roupagem desse programa, que estará disponível nos Conselhos Tutelares para o recebimento de denúncias e encaminhamentos. Esses dados serão transformados em relatórios e servirão tanto para os Conselhos de Direitos na formulação de políticas públicas voltadas para infância e adolescência, quanto para os demais órgãos de garantia dos direitos da criança  e do adolescente”, complementou.

Para o conselheiro tutelar do 1º Distrito, José Ednaldo dos Santos, o SIPIA faz parte de um modelo mais eficaz, que irá facilitar o acesso às informações sobre violações de direitos contra infância e adolescência. “Esse sistema vai facilitar o envio de relatórios ao Ministério Público, 16ª Vara da Infância e Juventude, Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima. Vai facilitar também os encaminhamentos aos programas e serviços desenvolvidos nos Centros de Referência da Assistência Social e Centros Especializados da Assistência Social”, ressaltou.

Comentários