Conselheiros tutelares de São Cristóvão recebem ameaças

0

Conselho está com portas fechadas (Fotos: Portal Infonet)

Os conselheiros tutelares do município de São Cristóvão estão apreensivos por conta de ameaças recebidas. Eles estão trabalhando a portas fechadas, desde o final de setembro, data em que as ameaças foram iniciadas. Os profissionais relatam que há muito tempo vêm solicitando segurança para a unidade de trabalho.

De acordo com o conselheiro Dihego Santos Melo, a ameaça foi feita devido ao trabalho dele e dos outros profissionais em proteger garotas adolescentes, dentre elas as que aparecem em fotos em redes sociais exibindo armamentos.

“Recebemos a ameaça anônima no dia 21 de setembro, mas decidimos fechar as portas a partir do dia 23. Na ameaça foi dito que a situação não iria ficar da forma que estava e que a qualquer momento poderiam invadir o conselho para vir atrás das meninas ou ir até qualquer outro lugar onde elas estivessem”, relata o conselheiro Dihego, acrescentando que as garotas estão abrigadas em outra cidade.

Cartaz informa motivo de conselho estar de portas fechadas

A informação do conselheiro é que já foi registrado boletim de ocorrência e enviado ofício para a delegacia de São Cristóvão, o Ministério Público Estadual (MPE), o juiz de plantão e a Secretaria de Inclusão Social do município. Dihego ainda ressalta que, apesar de toda a apreensão, a equipe de conselheiros não deixou de trabalhar.

A respeito da contratação de segurança, a afirmação dos conselheiros é que a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de São Cristóvão (CMDCA), Maria Lúcia de Souza, contou a equipe do Portal Infonet que essa questão já está sendo viabilizada. Eles alegam que desde novembro de 2013 que solicitam o apoio de um segurança, mas que até o momento a secretaria não providenciou.

Abrigo

Os conselheiros tutelares afirmam que o abrigo onde as garotas estão foi alvo de tentativa de invasão na semana passada, e que o caso já foi registrado em boletim de ocorrência. A informação deles é que os suspeitos chegaram a jogar pedras e que até um vigilante do local saiu machucado. “Eles [os suspeitos] estão rondando para ver se resgatam as adolescentes”, comentam.

Investigação policial

Conselheiros sobram segurança

Na 12ª Delegacia Metropolitana de Polícia Civil de São Cristóvão, o delegado Ronaldo Marinho esclarece que a única coisa que aconteceu foi uma ameaça de invasão, e que no dia da suposta ameaça ele enviou uma equipe que não encontrou nada no local.

Sobre o caso de ameaça ao Conselho Tutelar, Ronaldo conta que foi instaurado inquérito policial e que já existem suspeitos de praticar as ameaças. “Temos algumas linhas de investigação, e só faltam alguns elementos para interrogarmos o pessoal”, disse.

O Portal Infonet entrou em contato com uma funcionária do abrigo, mas ela não quis se pronunciar sobre o caso.

Fundação Renascer

A assessoria de comunicação da Fundação Renascer, responsável pelo abrigo, se manifestou por meio de nota. Confira na íntegra:

"Com relação ao caso ocorrido no abrigo, a Fundação Renascer  informa que na ocasião citada de fato alguns estranhos do sexo masculino rondaram a unidade e na preocupação de manter a integridade das jovens, ali abrigadas, e dos funcionários que atuam no local, a Fundação acionou o CIOSP, que prontamente atendeu ao chamado enviando uma equipe policial ao abrigo. Logo após a saída dos agentes da lei, os estranhos retornaram e começaram a atirar paus e pedras contra o abrigo. O CIOSP foi novamente acionado e chegando ao local os funcionários tomaram as medidas cabíveis prestando Boletim de Ocorrências no sentido de inibir a ação dos meliantes. A Fundação Renascer, mediante o fato, tomou todas as medidas cabíveis. Não é permitido revelar o curso das investigações, já que o local é uma casa que abriga crianças e adolescentes em situação de risco. O processo corre em segredo de Justiça".

CMDCA e Secretaria de Inclusão

Delegado conta que investigações já estão acontecendo

Mária Lúcia diz que seguranças devem chegar na próxima semana

A presidente do CMDCA, Maria Lúcia de Souza, afirma que o caso de ameaça é inédito no município e que anteriormente não havia necessidade de colocar segurança no Conselho Tutelar. “Assim que recebemos o boletim de ocorrência, fizemos ofício solicitando a administração a contratação de segurança para os dois distritos do conselho, e nesta quarta, 1º, recebi informação que provavelmente na próxima semana os vigilantes cheguem”, relata.

O Portal Infonet foi até a sede da Secretaria de Inclusão Social da Prefeitura de São Cristóvão, para conversar com a secretária Maria Madalena de Carvalho, mas ela informou que não iria se pronunciar sobre este caso e atribuiu a Maria Lúcia de Souza, do CMDCA, a responsabilidade de falar sobre as ameaças e a contratação de segurança.

Prefeitura

A assessoria de comunicação da Prefeitura de São Cristóvão informou ao Portal Infonet que a administração protocou no Comando da Polícia Militar uma solicitação de policiamento para o Conselho Tutelar, uma vez que cabe ao Estado prover a segurança do local.

Por Monique Garcez

A matéria foi alterada às 19h33 para acréscimo de informação da Prefeitura de São Cristóvão.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais