Cordel do Fogo Encantado emociona público sergipano

0

E quem disse que o público ficaria parado no show do grupo “O Cordel do Fogo Encantado”? O espetáculo, que marcou o lançamento do CD “O Palhaço do Circo sem Futuro”, foi um sucesso de público, performance e interpretação. No começo ocorreu tudo dentro dos conformes, mas não demorou muito para o público levantar e dançar os ritmos do grupo, envolvendo o toré indígena, que é uma herança da tribo Xucuru; o samba de coco de batida percussiva original, criada pelos descendentes de escravos; o reisado e o candomblé. A presença cênica dos meninos de Arcoverde, sertão de Pernambuco, garantiu uma mistura de música, teatro e poesia, através da literatura de cordel, principal influência do grupo. Tendo como base a percussão, o violão, a voz e a improvisação, “O Cordel do Fogo Encantado” conseguiu algo inusitado para um grupo de fora que se apresenta pela primeira vez em Aracaju: a participação maciça do público que, além de dançar, cantou as músicas e ainda pediu, emocionado, “bis”. A inspiração no teatro e a presença cênica dos componentes desse grupo proporcionaram uma envolvente inspiração, à medida que Lirinha, líder e vocalista do grupo, contava histórias sobre a existência humana, envolvendo o místico através da literatura de cordel. “Os homens aprenderam com Deus a criar, e com os homens Deus aprendeu a amar”, recitou o vocalista. Ao final da apresentação, os meninos Lirinha, Clayton Barros, Emerson Calado, Rafa Almeida e Nego Henrique, ainda fizeram uma homenagem à Naná Vasconcelos, que já fez participações junto ao “Cordel do Fogo Encantado”. O grupo realiza hoje, no Teatro Tobias Barreto, sua última apresentação. Mais informações pelo telefone (0xx79) 3179-1491.

Comentários