Delegacia de Japoatã funciona no limite

0

Policial diz que em Japoatã a segurança é precária (Foto: IBGE) 

Com quase 13 mil habitantes e 19 povoados, o município de Japoatã, distante 94 km da capital sergipana, está à mercê da própria sorte. A informação é de um policial militar que atua no local e relata a dura rotina de ser escalado para trabalhar em um município que conta apenas com dois policiais. “O delegado que trabalha aqui faz escala em mais outros dois municípios, na maioria das vezes a delegacia fica sem delegado e os militares que estão aqui não conseguem fazer nada”, relata o policial, que pede para não ser identificado.

No ano passado o Portal Infonet mostrou a precariedade de uma delegacia no interior do Estado. Na época, um militar foi flagrado dormindo durante o trabalho.

Com cerca de 20 anos na Polícia Militar e atuando como representante de classe, o sargento Edgar Menezes da Associação Beneficente de Servidores Militares de Sergipe (Absmse), diz que esse quadro se repete em outras delegacias, principalmente as localizadas no interior. “A associação vem denunciando a precariedades das unidades policiais, isso não é novidade, infelizmente o policial é jogado para cumprir o seu trabalho, mas não possui condições”, menciona o gestor.

Edgar cita como exemplo o caso do município de Monte Alegre, onde na semana passada somente um policial tomava conta de uma delegacia. “O policial militar estava na delegacia sozinho para tomar conta de cinco presos, isso mostra a fragilidade da segurança pública. O pior é que esse policial estava dividindo a comida com os presos porque não tinha quentinha para os presos”, diz.

O gestor da mesma associação, Jorge Vieira, atenta para o problema do efetivo de policiais. “PM em delegacia deixa o serviço precário, imagine que se está faltando civis nas delegacias porque a polícia mantém o Gerb [Grupo Especializado em Rondas e Blitz] que é feito por civis. Porque o efetivo de maior de policiais civis está em Aracaju, sendo que o interior tem uma população maior”, questiona Vieira.

SSP

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP), nos últimos três anos a secretaria investiu na reforma e construção de unidades, um investimento de R$ 5 milhões. A informação é que varias unidades da polícia já foram reformadas no interior do Estado e outras também serão construídas e reformadas.

O assessor da SSP, Lucas Rosário, enfatizou que a necessidade de um efetivo maior é clara. “Mesmo com essa necessidade, as prisões continuam sendo realizadas, mas o governador já anunciou o concurso, mas ainda não tem data marcada”, esclarece o assessor, que ressalta o trabalho do Gerb.

“O Gerb é uma unidade que tem atuado de forma eficaz, principalmente no interior do Estado, inclusive com levantamento e investigação de ocorrências”, afirma Rosário.

Por Kátia Susanna

Comentários