Deputado se solidariza com servidores estaduais

0

Ontem, dia 10 de maio, durante a sessão ordinária da Assembléia Legislativa, o deputado estadual Francisco Gualberto, PT, declarou apoio e solidariedade aos servidores estaduais da Saúde e da Educação que, durante dois dias (9 e 10 de maio), paralisaram suas atividades no intuito de advertir o Governo Estadual sobre a situação que esses profissionais vêm enfrentando para desempenhar suas funções e para chamar a atenção para a pauta de reivindicação das duas categorias. Para o deputado, a luta das duas categorias é justa, já que, em sua opinião, desde o início de sua gestão o governador João Alves Filho não valoriza o funcionalismo público.

“Já disse isso várias vezes: o problema do Governo do Estado é de prioridade. Ao invés de ter mais atenção com os servidores, que sofrem com salários baixos e péssimas condições de trabalho, o governador prefere gastar o dinheiro com obras eleitoreiras ou em propaganda para tentar vender uma imagem irreal à população. Em abril do ano passado, por exemplo, o Ministério Público informou ao meu gabinete que já haviam sido gastos R$ 15 milhões em propaganda. Se este ritmo foi mantido, hoje o governo pode ter gasto R$ 30 milhões. Imagine se esse dinheiro fosse investido no servidor”, indagou o parlamentar.

Gualberto fez questão de destacar ainda que na semana retrasada, mesmo alegando dificuldades orçamentárias para aumentar salários dos profissionais das áreas de Educação e Saúde, o Governo do Estado enviou, e fez aprovar na AL, um projeto de lei que criou mais três secretarias especiais e 165 cargos comissionados, o que deve custar aos cofres públicos algo em torno de R$ 800 mil por mês, segundo informou o próprio deputado.

“Este é um governo sem lógica. E é por estas e outras que os funcionários públicos devem procurar cada vez se unir mais para se fortalecer. Policiais, agentes penitenciários e outras categorias devem se somar aos médicos, enfermeiros, professores e demais profissionais para mostrar ao governador seu repúdio por esta política que não privilegia a mais importante peça da máquina do Estado, que é o servidor público”, afirmou Gualberto.

O parlamentar dirigiu-se ao líder do governo na AL, Venâncio Fonseca (PP), sugerindo que, ao invés dele levar as questão para os âmbitos municipais e federais, no intuito de desviar o foco do debate do Governo Estadual e dessa forma fugir dos questionamentos da oposição, o deputado deveria intermediar uma reunião entre o governo do Estado e os servidores em questão. 

“As comparações com a Prefeitura de Aracaju e o Governo Federal não são favoráveis ao Governo do Estado. Um professor aposentado do município ganha hoje, só para citar, o triplo do que ganha um no Estado. O reajuste mínimo que a prefeitura deve conceder é de 7%. O Governo Federal, que negociou por classe separadamente e por períodos diferentes, tem reajustes que chegam a 34,9%. O Estado, até agora, nada. O que deve ser discutido aqui é como resolver os problemas do Estado, pois somos deputados estaduais”, informou Gualberto.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais