Desembargador decreta prisão de bombeiro acusado de estupro

0
Bombeiro foi encaminhado ao Presmil (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O desembargador Diógenes Barreto, do Tribunal de Justiça de Sergipe, acatou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) para decretar a prisão preventiva do bombeiro militar acusado de prática de estupro contra uma colega dele de corporação. A decisão do desembargador, relator do processo, foi acatada pela Câmara Criminal.O suposto estupro teria ocorrido no dia 31 de maio deste ano em um condomínio em Aracaju, durante uma festa de confraternização.

O pedido de prisão do bombeiro acusado foi negado pelo juízo da 6º Vara Criminal, mas acabou acatado pelo desembargador Diógenes Barreto ao se manifestar em recurso interposto pelo MPE, conforme explicações do advogado Ricardo Almeida, habilitado como assistente de acusação no processo judicial que tramita, em segredo de justiça, na 6ª Vara Criminal.

A prisão foi decretada na sexta-feira, 1°. Mas o bombeiro militar que atua no Grupamento Tático Aéreo (GTA) da Polícia Militar se apresentou à unidade onde presta serviço na manhã desta segunda-feira, 4, conforme informações do coronel Gilfran Matheus, comandante do Corpo de Bombeiros de Sergipe. De acordo com o comandante, ao se apresentar no GTA, o acusado foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), de onde foi encaminhado para o Presídio Militar de Sergipe (Presmil), onde permanecerá detido à disposição do Poder Judiciário de Sergipe.

De acordo com o coronel Gilfran Matheus, a própria corporação instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) na época em que o episódio foi denunciado pela vítima. Conforme o coronel, o IPM apresentou alguns indícios da materialidade do crime, mas acabou arquivado porque já havia um outro procedimento em tramitação na 6ª Vara Criminal decorrente da investigação realizada pelo Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) da Polícia Civil.

*A matéria foi atualizada às 12h03 para correção de informação

por Cassia Santana

Comentários