Dia Mundial do Orgasmo: “Faça amor, não faça guerra”

0

O orgasmo é um sentimento de prazer que o ser humano procura sentir através do mecanismo sexual. Neste sábado, dia 31, comemora-se o Dia Mundial do Orgasmo. Sem dúvida, o prazer será a ferramenta essencial para aqueles que desejam comemorar essa data peculiar. Antigamente, a palavra “orgasmo” era proibida e considerada “suja”, por expressar as sensações provocadas através ato sexual. Mudanças não só no comportamento, como físicas, acontecem durante orgasmo. As pupilas se dilatam, os poros se abrem exalando o cheiro característico de cada um, a respiração fica mais intensa e os batimentos cardíacos aceleram. Descrevendo dessa forma, essas reações físicas parecem sintomas de alguma doença. Sem dúvida uma sensação estranha e, no primeiro momento, chega a preocupar. Mas é importante frisar que tudo isso é provocado por um imenso nível de prazer, no ápice da relação sexual. Existem diversas formas de provocar e sentir o orgasmo. Tanto o homem, quanto a mulher, possuem regiões específicas no corpo onde o mecanismo do prazer é acelerado. Segundo diversos estudiosos do assunto, nos homens os principais pontos são: pescoço, mamilos, orelhas e o ponto de ligação entre o saco escrotal e o ânus. Nas mulheres os pontos de maior ativação de prazer encontram-se acima do clitóris – conhecido como o “Ponto G” -, entre os dedos dos pés e na região da virilha. Mas todas essas informações não bastam para propiciar prazer ao parceiro(a), pois a famosa “química” – uma identificação sexual maior entre as pessoas – é a chave da questão. Pesquisas comprovam que pessoas que frequentemente atingem o orgasmo raramente sofrem de depressão, tensão, stress e problemas no coração. Portanto, é importante frisar que este sentimento provocado pela libido é a representação física da satisfação sexual, através de uma ligação não só ao extinto animal, como ao prazer. No mais, como diziam os hippies da década de 60: “Faça amor, não faça guerra”.

Comentários