Documentos perdidos podem estar disponíveis nas agências dos Correios

0
Para ajudar o cidadão a encontrá-los, os Correios oferecem o serviço Achados e Perdidos, disponível em todas as agências centrais do país
(Foto: Arquivo Infonet)

Durante festividades como o carnaval, quando há o aumento na aglomeração e no trânsito de pessoas, é muito comum a perda de documentos pessoais. Para ajudar o cidadão a encontrá-los, os Correios oferecem o serviço Achados e Perdidos, disponível em todas as agências centrais do país. A consulta à relação de documentos disponíveis para retirada pode ser feita em qualquer unidade ou no site dos Correios.

Instituído há mais de 30 anos, o serviço tem como objetivo encurtar o tempo e reduzir o custo da busca por documentos perdidos. Em 2018, em todo o Brasil, mais de 160 mil documentos foram cadastrados para retirada, no entanto, apenas 4% deles foram procurados e devolvidos aos proprietários. Os demais são remetidos ao órgão emissor.

Em Sergipe, no ano passado, foram recebidos e disponibilizados para retirada 1.936 documentos, dos quais apenas 65 foram resgatados. No momento, quase 300 documentos estão guardados na Agência Central, localizada no calçadão da Laranjeiras, em Aracaju. O horário de atendimento ao público vai das 9 às 17h, de segunda a sexta-feira.

Aqueles que encontrarem documentos de terceiros podem depositá-los no guichê de qualquer agência dos Correios ou em caixas de coleta. Uma vez recebidos, os documentos são acondicionados em envelopes e guardados, ficando disponíveis para retirada durante 60 dias.

Para retirar o documento perdido, o cidadão deve apresentar outro documento que comprove sua titularidade e pagar uma tarifa de R$ 5,70. Documentos sob a guarda dos Correios só poderão ser entregues aos proprietários ou seus representantes legais, devidamente reconhecidos. Caso seja constatado que o documento perdido esteja em uma cidade diferente da qual o proprietário se encontra, é possível fazer uma solicitação para que ele seja enviado à agência mais próxima.

Fonte: ascom Correios

Comentários