Edgard Menezes consegue liberdade após habeas corpus

0
Sargento foi solto na tarde deste domingo, 23 (Fotos: Portal Infonet)

O sargento Edgard Menezes, vice-presidente da Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese), foi solto no início da tarde deste domingo, 23, graças a um habeas corpus concedido pela justiça. O oficial havia sido encaminhado à Corregedoria da Polícia Militar sob acusação de abandono de posto de trabalho.

Familiares, amigos e militares estiveram de prontidão em frente à Sede do Presídio Militar (Presmil) à espera da liberação de Edgard, que só ocorreu após a chegada de um oficial de justiça. Na saída, o militar ainda bastante emocionado, avaliou como injusta a sua prisão e preferiu não comentar sobre ao suposto envolvimento de outros militares em sua prisão. “Foi uma coisa injusta. Há comentários que levam a crer na participação de outros militares, mas não vou falar sobre isso. Tudo é possível, mas só a justiça é quem vai dizer se foi realmente injusto”, destacou.

Edgard Menezes aguardou pelo habeas corpus no Presmil

O militar afirmou ainda que apesar de tudo que ocorreu, não pretende calar sua voz. “O militarismo tira os direitos humanos e a cidadania das pessoas. Me sinto na obrigação de fazer com que os militares adotem direitos de cidade para os operadores da segurança pública. Não dá para aguentar essa situação na polícia do Brasil”, disse.

Edgard também fez questão de agradecer a todos aqueles que manifestaram seu apoio. “Se eu entrasse aqui [Presmil], eu não me sentiria desmoralizado, pois sei que eu entraria em virtude de uma luta. Eu sei que eu entraria sozinho, mas todos aqueles que me apoiaram estariam comigo em espírito”, disse em agradecimento aos amigos presentes.

A esposa de Edgard Menezes, que há sete meses enfrenta uma gestação de alto risco, também fez o seu desabafo. “Jamais imaginei que eu pudesse passar por tudo isso. Tenho uma gestação de alto risco e eu não esperava uma coisa dessas. Meu marido foi escoltado por vários homens como se fosse um marginal”, lamenta.

Entenda o caso

Edgard foi solto após chegada do oficial de justiça

Familiares, amigos e parentes aguardavam pelo Sargento Edgard

Edgard Menezes estava de serviço no último sábado, quando utilizou o horário de almoço para levar um documento na Amese, onde acontecia uma reunião de lideranças da Associação. Ao deixar o local, ele foi abordado por um tenente da Polícia Militar, que o conduziu à Corregedoria da Polícia Militar.

Ainda no sábado, Edgard foi submetido ao exame de corpo e delito, e logo depois, por recomendação médica, encaminhado ao Hospital da Polícia Militar por apresentar sintomas de pressão alta. Somente neste domingo, é que o militar foi levado ao Presmil, onde aguardou pela sua soltura.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais