Edital do concurso da Assistência Social sai na próxima semana

0

Rosária Rabelo
O edital do concurso público para a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semasc), anunciado pelo prefeito Edvaldo Nogueira no dia 25 de setembro, está prestes a ser lançado. Após aprovação unânime, na Câmara de Vereadores, do projeto de lei que autoriza a seleção, a expectativa é que até a próxima sexta-feira, dia 13, os profissionais interessados em concorrer a uma das vagas tenham acesso a informações como data da prova, inscrições, salários e requisitos. As vagas são para os cargos de psicólogo, educador social e assistente social.

Com a iniciativa da administração municipal, a capital sergipana passa a ser uma das primeiras do país a se adequar ao que exige a Lei Orgânica (Loas), a Política Nacional (PNAS) e a Norma Operacional Básica (NOB) da Assistência Social. “É um momento histórico, já que Aracaju é uma das primeiras a realizar o concurso. Na próxima semana já divulgaremos o edital”, destaca a secretária municipal de Assistência Social, Rosária Rabelo.

De acordo com a secretária, inicialmente serão preenchidas 210 vagas, sendo 55 para o cargo de assistente social, 45 para psicólogos e 110 para educadores sociais. “O que foi votado foi a criação dos cargos de psicólogo e assistente social, que não constavam no quadro da administração geral da Prefeitura, e a ampliação dos cargos para assistente social, que hoje nos quadros da administração geral da Prefeitura tínhamos apenas 15”, explica Rosária.

No projeto encaminhado pelo Executivo e aprovado pela Câmara constam ainda outras 100 vagas que poderão ser preenchidas nos próximos dois anos – prazo referente à validade do concurso. “Nossa necessidade imediata é de 210 profissionais, mas, caso os programas da Semasc se ampliem, será preciso um número maior”, explica a secretária.

Atuação

Os profissionais aprovados atuarão nas unidades da Semasc, a exemplo dos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas), onde atenderão adolescentes em conflito com a lei; crianças, adolescentes e mulheres vítimas de violência, abuso e exploração sexual; idosos e deficientes vítimas de maus tratos; crianças e mulheres em regime de abrigamento.

Eles também participarão do desenvolvimento das ações sócio-educativas nos 64 núcleos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), que hoje atende em  Aracaju cerca de 1.280 crianças e adolescentes. No Projovem Adolescente, os profissionais atuarão junto aos 41 núcleos, atendendo cerca de 1.025 jovens.

Fonte:AAN

Comentários