Egressos protestam em frente a casa do governador

0

No início da manhã de hoje, 17, alguns egressos do sistema prisional que participavam do projeto ‘Mais cidadania, menos preso’ estenderam faixas em frente ao prédio do governador Marcelo Déda, na rua Duque de Caxias, no bairro São José. Eles queriam falar pessoalmente com o governador sobre as demissões que aconteceram na Sejuc, na tentativa de reaver seus empregos. A tentativa foi frustrada, mas ao menos eles conseguiram contato com o Coronel Sávio, que marcou reunião logo mais no Desipe. 

O projeto iniciado em 2005, garantia aos presos, em regime fechado e semi-aberto, trabalho dentro da secretaria. Eles exerciam funções de garçom, operador de fotocopiadora, porteiro, mensageiro, serviços gerais, dentre outras, e ganhavam mensalmente R$ 280. O afastamento ocorreu na semana passada por ordem da Procuradoria Geral do Estado, que concluiu que o projeto é ilegal.

O ex-porteiro Marcos José dos Santos, que emprego de volta
“Nós queremos trabalhar licitamente para não fazer nada ilícito por necessidade ou por desespero. É injusto botar a gente pra fora de um dia para o outro”, desabafa Odair José Santos, que trabalhava como operador de fotocopiadora há um ano.

Eles afirmam que os protestos irão continuar até que a decisão seja revista e eles possam voltar ao trabalho. O secretário, Benedito Figueredo, já sinalizou que irá buscar parcerias com empresas e organizações como o Rotary Clube, para poder recolocar os egressos. “O lema da Sejuc não é Justiça e Cidadania? Até agora só foi feita a Justiça, e a Cidadania onde é que fica?”, declarou Jorge Boaventura.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais