Em quatro meses, foram plantadas 3600 novas árvores

0
As árvores que atualmente chegam a todos os cantos da cidade saem do Horto Municipal (foto: Marco Vieira/AAN)

O Dia da Árvore é comemorado todos os anos no dia 21 de setembro. Este dia foi escolhido por anteceder o início da primavera no hemisfério Sul que, a depender do ano, pode acontecer no dia 22 ou 23. A Prefeitura Municipal de Aracaju, através do Plano de Arborização, já plantou, somente de maio a agosto, cerca de três mil mudas e doou mais 600. Isso significa 3.600 novas árvores na cidade.

Responsável pelo projeto, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) priorizou o plantio de árvores nativas da Mata Atlântica, como ipês (roxo, amarelo,  rosa e da serra), sibipiruna, farinha seca e pau-brasil. Outra novidade que também agradou a população é que diversas árvores frutíferas foram plantadas. Pés de caju, goiaba, jabuticaba, pitomba, tamarindo e outras frutas também mudarão a paisagem da cidade que hoje sofre com um déficit acentuado de áreas verdes.

Entre plantios e doações, quatro escolas da rede municipal foram beneficiadas com as mudas, em sua maioria, de árvores frutíferas. Entre as escolas contempladas estão a Emef Jornalista Orlando Dantas, no bairro Olaria, e a Emef Professor Florentino Menezes, no Mosqueiro.

Avenidas e praças também receberam ações do plano. Só no bairro aeroporto, 690 mudas foram plantadas entre as avenidas Alexandre Alcino, Hildete Falcão e senador Júlio Leite. As avenidas Heráclito Rollemberg (Farolândia), Tancredo Neves (Capucho) e Mário Jorge (Coroa do Meio) também foram contempladas. A Praça da Imprensa, no bairro 13 de Julho, e a Praça Mariana M. Moura Souza, no 17 de Março, também tiveram a paisagem modificada com as novas árvores. O projeto se estendeu também aos parques da Cidade (bairro Industrial) e Sementeira (bairro Jardins).

No total, foram contempladas na cidade oito avenidas, três praças públicas, dois parques, dois conjuntos habitacionais e quatro escolas municipais.

Os últimos plantios serão feitos no mês de setembro para dar início à avaliação do que já foi feito. “Agora em setembro estamos fazendo o monitoramento de plantio, avaliando a mortalidade das mudas, a fitossanidade, verificando se estão com alguma praga e, a partir desse monitoramento, fazemos as substituições. Até o fim deste ano vamos substituir as mudas que morreram e definir os locais que serão priorizados pela Emsurb na irrigação”, explica Vitor Melo, engenheiro agrônomo e assessor técnico da Sema.

Fonte : AAN

Comentários