Embaixador do Chile discute globalização

0

Na noite dessa segunda-feira, dia 4, no auditório do Banese, a Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe – Fanese – realizou sua aula inaugural dos cursos de Graduação, com uma palestra proferida por Carlos Eduardo Mena, embaixador do Chile no Brasil, sobre o tema: “Integração Latino-Americana”. O evento lotou o auditório, reunindo cerca de 350 pessoas. Na palestra, o embaixador discutiu a importância da ética e da cidadania dentro de uma sociedade pós-industrial globalizada e a necessidade de os países possuírem uma visão sistêmica das questões mundiais, como a destruição do meio ambiente, o terrorismo e a corrupção. “O Mercosul atualmente é um acordo de tarifas e precisamos de uma integração não apenas econômica, mas também social e cultural. A economia, a administração e os negócios devem ser abordados pela perspectiva multidisciplinar. A ética deve fazer parte dos negócios”, disse Mena. Segundo o diretor executivo da Fanese, Edgard Freitas, “a intenção do evento foi dar a oportunidade dos alunos adquirirem uma visão mais ampla sobre a área de administração e negócios e desenvolverem uma maior consciência crítica”. Hoje com três cursos de graduação – Administração, Engenharia de Produção e Ciências Contábeis – a Faculdade criou sua primeira turma em 1998 e está formando sua primeira turma de Administração neste ano.
AUTORIDADES – O evento contou com a participação de diversas autoridades sergipanas, como o prefeito Marcelo Deda; o presidente da Assembléia Legislativa, Bosco Costa; o vice-presidente do Tribunal de Justiça, Artêmio Barreto; o presidente da OAB/SE, Manoel Cruz; o ex-prefeito de Aracaju, José Carlos Teixeira; o deputado federal Ivan Paixão, representante da Comissão de Educação da Câmara Federal; dentre vários outros. O prefeito de Aracaju, ao fim da palestra, ressaltou a importância da Faculdade para o Estado de Sergipe. “A Fanese demonstra mais uma vez ser um pólo de conhecimento de fundamental importância para a sociedade sergipana. Os cursos oferecidos por ela com certeza traduzem a vontade de implementar um novo modelo de desenvolvimento econômico e social e fornecem mão-de-obra qualificada, uma massa crítica que trará para nosso Estado um grande suporte para a consolidação de um novo projeto social”.
PÚBLICO – Os alunos aprovaram a iniciativa da Faculdade. Flávia Silva, estudante de Administração da Faculdade, e Márcia Santana, caloura do curso de Ciências Contábeis, elogiaram a escolha do tema. “Foi excelente. Tivemos a oportunidade de aprender sobre a visão ética dos negócios e sobre a forma dos chilenos pensarem”, comenta Flávia. Outra pessoa que destacou a importância do aspecto humano da globalização econômica foi Aglaé Fontes, professora, escritora e musicista. “É importante que a integração dos países preocupe-se com a questão cultural. Nós somos na verdade pluriculturais. A integração não pode ser algo massificado. A gente dividiu muito o homem, naquilo que ele faz, naquilo que ele cria e naquilo que ele pensa. Mas todos nós no fundo estamos buscando uma única coisa: a felicidade, estar bem. E para isso é preciso uma valorização do lado humano, da ética”, disse ela.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais