Enchente ainda causa transtornos a Estância

0

Ponte D. Pedro II, sobre o rio Piauitinga, foi parcialmente destruída
Quase três meses após a enchente que atingiu a cidade de Estância, e que destruiu casas, bares, e desalojou dezenas de pessoas, a população ainda espera que os problemas causados pela catástrofe sejam solucionados. Sobretudo os moradores do bairro Bomfim, que se sentem ilhados após a queda do principal acesso à localidade, a ponte D. Pedro II, mais conhecida como Ponte do Bomfim, destruída pela forte correnteza do rio Piautinga, que transbordou em decorrência das fortes chuvas que caíram na região.

Para Luzinete Pinheiro, moradora daquele bairro e líder comunitária, além de dificultar o acesso ao local, a queda da ponte trouxe insegurança aos moradores. “Os marginais agem a qualquer hora do dia e da noite e não há policiamento nas ruas. Os trajetos para se chegar ao bairro são escuros e esquisitos, e tem também as ruínas, que facilitam o esconderijo desses marginais”, reclama a moradora, divulgando que uma conhecida sua foi vítima de tentativa de estupro nas proximidades.

Líderes da comunidade reclamam dos problemas causados pela enchente
Já Ana Angélica, dona de um restaurante no bairro, reclama que o número de fregueses caiu junto com a ponte, pois não existem placas que indiquem os caminhos alternativos para se chegar à localidade. “O comércio do Bomfim perdeu muito. A impressão é que o bairro ficou mais distante. O prejuízo financeiro está sendo grande” queixa-se a comerciante. Há outras opções de acesso ao bairro, mas a ponte do Bomfim era, de fato, a mais conhecida e utilizada por moradores e visitantes.

Afim de obter respostas da administração municipal e estadual quanto às soluções para esses transtornos, uma comissão de moradores esteve reunida na noite da última segunda-feira, 27, com o prefeito Ivan Leite e com o engenheiro da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop), Marcelo Monteiro. “O prefeito atendeu ao nosso chamado e compareceu à reunião para nos tirar algumas dúvidas. Agradecemos a ele pela atenção”, diz Beto Batista, um dos representantes da comunidade.

“Finalmente ele apareceu para dar algumas explicações. Já havia passado quase 80 dias e o prefeito não tinha dado nenhuma satisfação. Ele precisa estar mais atento aos problemas de Estância, pois nem morar aqui ele mora” revolta-se Luzinete. “Chegamos a colocar algumas faixas em protesto na cabeceira da ponte, que alguém retirou na mesma noite. Pensamos até em fechar a BR 101 como forma de protesto”, completa a moradora.

O prefeito rebateu as acusações da moradora, e disse que não só mora na cidade de Estância, como despacha todos os dias na prefeitura. Ainda segundo Ivan Leite, “todas as providências já estavam sendo tomadas, eu não esperei a manifestação dos moradores para correr atrás das soluções”.

Prefeito Ivan Leite afirma já ter dado a ordem para iniciarem as obras
Soluções a caminho

Para os moradores do Bomfim, o encontro com Ivan Leite na última segunda-feira, 27, parece ter sido providencial. É que o prefeito pôde esclarecer as principais dúvidas dos moradores, principalmente no que concerne ao início da revitalização da ponte de acesso ao bairro.

“Já foram creditados na conta do Governo do Estado R$ 2 milhões, e essa quantia será suficiente para iniciarmos as obras de reconstrução da ponte e das casas que foram destruídas na enchente”, disse o prefeito ao Portal Infonet. “A ordem de serviço já foi dada, e em no máximo 90 dias os estancianos já terão novamente a ponte sendo reerguida”, garante Ivan Leite.

Local onde existia uma quadra: espaço deve ser contemplado no novo projeto
Uma quadra de esportes que funcionava às margens do rio e foi destruída na ocasião também deve ser contemplada com o projeto de reconstrução. O prefeito pontua, no entanto, que a prioridade no momento são as casas e a ponte D. Pedro II. “As moradias serão construídas em outros bairros, não mais no Bomfim, e só não puderam ser erguidas ainda porque as chuvas atrapalharam o processo de terraplanagem”, alega o prefeito. Ainda segundo ele, o orçamento total das obras será de R$ 4 milhões de reais.

Sobre as placas de indicação, solicitadas pelos comerciantes do Bomfim, Ivan Leite sinaliza que a confecção foi autorizada e uma equipe já estava se preparando para afixá-las nas entradas alternativas do bairro. Quanto à segurança, o prefeito afirma ser de responsabilidade do Estado aumentar o efetivo policial na cidade, e garante que tem cobrado da Secretaria de Segurança Pública mais policiamento naquele local.

Por Helmo Goes e Carla Sousa

Esta matéria foi alterada às 17h20, para acréscimo de informação.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais