Entenda os cuidados que as empresas devem ter no trabalho home office

0
Foto: Agência Brasil

Com a pandemia do novo Coronavírus, o Covid-19, muitas empresas precisaram adaptar suas atividades de trabalho e adotaram o home office como medida para diminuir a velocidade de propagação do vírus. Diante desse novo cenário quais os cuidados necessários para garantir a segurança digital?

“O trabalho home office aumenta, consideravelmente, os riscos às empresas, principalmente pelo fato de terem migrado de forma tão imediatista, não implementando, na maioria das vezes, mecanismos adequados para proteção”, alerta o professor do curso de Ciência da Computação da Universidade Tiradentes e especialista em Segurança da Informação, Pablo Menezes.

“O grande problema de segurança é o fato do aumento de vários pontos de entradas diferentes, no caso dispositivos pessoais, para acesso aos serviços da empresa. Cada ponto de entrada é um possível acesso para golpistas ou ataques cibernéticos”, explica Pablo.

“Os riscos começam pelo fato do usuário utilizar uma rede doméstica, na maioria dos casos em redes wi-fi não seguras, ou ainda, utilizam redes públicas para estes acessos. Além disso, em muitos casos, negligenciam o uso correto de configuração de firewall ou de utilização programas de antivírus atualizados”, acrescenta o especialista.

Entre as principais ameaças estão a disseminação de *malwares*, ou seja, vírus, trojans, entre outros e golpes de phishing com tentativas de capturar o usuário para conseguir informações como senhas, login ou qualquer outra informação.

“O fato de estarmos em nosso lar, podemos ser levados a um descuido até mesmo pelo excesso de confiança e, por causa disso, podem começar os problemas. É preciso ficar em vigilância sempre porque os malfeitores nunca descansam”, enfatiza Pablo.

“A empresa deveria disponibilizar um equipamento pré configurado para o acesso com as devidas medidas de segurança e compartilhar com seus funcionários as melhores práticas de segurança digital”, complementa.

Entre as alternativas apontadas pelo especialista estão o acesso somente via VPN (*virtual private network*) para garantir apenas pessoas autorizadas e ter um bom software de antivírus instalado e atualizado. “É importante ressaltar outros cuidados como não utilizar redes públicas para acesso, realizar cópias de segurança dos seus dados com frequência, utilizar senha fortes e, ao se ausentar, bloquear os dispositivos”, frisa.

Quanto aos e-mails suspeitos, o especialista alerta para outras precauções. “Ao receber o e-mail é relevante verificar o endereço do remetente, URL do site, verificar erros de ortografia, não abrir os anexos e não responder em caso de suspeita”, finaliza.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Unit

Comentários