Esgoto de presídio faz famílias ficarem sem água

0

O rio está poluído e prejudicando famílias no Povoado Timbó (Fotos: Portal Infonet)

O esgoto está sendo despejado no Rio Pitanga

Maria Onice já não aguenta mais a situação 

Rafaela fala que os moradores já se manifestaram contra a situação 

Outros tipos de lixo encontrado nas proximidades do rio Pitanga 

O despejo do esgoto de um presídio no rio Pitanga está preocupando os moradores do povoado Timbó, em São Cristovão. Moradores da região falam que o despejo de dejetos do Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto (Copemcan) no único rio que abastece a região está tornando-o completamente poluído e impróprio para o uso humano.

De acordo com os moradores da região, devido ao rio completamente poluído, o fornecimento de água para as casas está se dando através do Copemcan. A trabalhadora rural Maria Onice dos Santos fala que a situação é crítica e já dura mais de um ano. “Como eles poluíram, ficaram mandando água pra a gente. Mas estamos praticamente sem água. Eles deixam a gente com água durante duas horas no dia e depois desligam”, disse a moradora.

“Pior é que tem dia que nem tem água. A gente fica sem tomar banho, sem fazer nada. É um absurdo. No início, eles até deixaram a água 24 horas com a gente, agora está difícil a situação”, completou Maria Onice. “Hoje mesmo, eles abriram 8h e desligaram 9h”, disse.

Rafaela dos Santos fala que os moradores já fizeram manifestações contra as atitudes do presídio. “A gente já fechou várias vezes a entrada do Timbó. A gente fica dependendo do presídio, isso é um absurdo”, disse a moradora.

Para Maria Onice, a situação tem que ser resolvida rapidamente. “A vontade que a gente tem é sair daqui. Eles falam que vão resolver e não resolvem. Ou eles nos dão água ou indenização e manda a gente sair daqui. Mas não tem como ficar como está”, desabafou.

Meio Ambiente

A Administração Estadual do Meio Ambiente (ADEMA) já tem conhecimento da situação em São Cristovão. E encaminhou esclarecimento através de nota:

"A ADEMA encaminhou equipe de fiscalização no local (Copecam|se), e ao verificar o lançamento irregular de efluente, está entrando em contato com os órgãos responsáveis pela gestão do COPECAM a fim de adotar medidas cabíveis para solucionar o problema.

Nessa sexta-feira, 09, o presidente da Adema, Wanderlê Correia, marcou uma reunião para essa próxima semana com os representantes chefes da Secretaria da Justiça, CEHOP, e da Deso, afim de, conjuntamente, solucionar a problemática identificada pelo órgão ambiental e com maior celeridade nas ações por parte dos órgãos envolvidos."

DESO

A assessoria de comunicação da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) informou que a companhia fornece água para o presídio Copemcan, mas não tem autorização para o abastecimento de água no povoado Timbó. A ascom explica que, para acontecer a distribuição de água em determinados locais, a ação da Deso deve ser feita com previsão e planejamento.

COPEMCAN

O Portal Infonet tentou contato com o COPEMCAN, através do diretor do presídio, Agenildo Júnior, nos telefones 9635-9560 e 8822-3892, mas não obteve êxito.

Por Helena Sader e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais