Ex-presidiário é morto em confronto com polícia

0
José Augusto quando foi preso e apresentado à imprensa (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Uma ação desencadeada pela polícia civil para cumprimento de mandado judicial culminou com a morte de um suspeito e deixou uma pessoa ferida. A ocorrência foi registrada no início da manhã desta quarta-feira, 15, dentro da residência do suspeito, na cidade de Poço Verde. José Augusto Aureliano Batista foi preso no ano passado no município de Paragominas, no Estado do Pará, acusado de integrar um suposto grupo de extermínio que teria forte atuação na região de Poço Verde, esquema denunciado, inclusive pela deputada Ana Lúcia Menezes na Assembleia Legislativa.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública, José Augusto é considerado foragido da justiça e a equipe da SSP vem realizando diligência desde a semana passada para prendê-lo, em cumprimento a mandado judicial expedido contra José Augusto, acusado de envolvimento no assassinato do adolescente Jeferson Nascimento Santana, 16, crime ocorrido no dia 15 de novembro de 2012, dentro de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que prestava atendimento ao adolescente. A ambulância foi abordada por homens armados quando conduzia o paciente, em uma estrada de Poço Verde.

A assessoria informou que, ao receber a voz de prisão na manhã desta quarta-feira, 15, José Augusto teria reagido com tiros disparados contra os agentes que participavam da operação. A assessoria informa que o acusado estaria portando uma pistola TT 100 ponto 40, de uso restrito das forças policiais. A arma foi apreendida, segundo a SSP, com munição deflagrada e que estaria com a numeração raspada.

Mas, entre a família do acusado, o sentimento é que houve crime de execução praticado contra a polícia. A esposa do acusado, Simone Correia, está em estado de choque. Aos prantos, ela contou ao Portal Infonet que os policiais teriam chegado à residência já atirando. “Eu fui abraçar ele para ajudar, mas recebi um tiro na mão”, contou Simone, sem controlar os soluços.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais