Família aguarda laudo do acidente que vitimou professora

0
Acidente ocorreu na BR 101 (Foto: Facebook/Isto é Sergipe)

Familiares da professora de história Rita Angélica Bezerra Feitosa, de 39 anos, morta no dia 1º de maio, aguardam pelo relatório da Polícia Rodoviária Federal, (PRF) para identificar a responsabilidade pelo acidente. A professora seguia para o município de Tomar do Geru quando um microônibus capotou no trecho da BR 101, próximo ao município de Santa Luzia do Itahny.

De acordo com o irmão da vítima, o vereador Agnaldo Feitosa, a família vai aguardar o laudo feito pela PRF para que o caso seja denunciado na Delegacia. “Vamos esperar a perícia, só quando sair o laudo é que a gente pode tomar qualquer atitude”, diz.

O acidente ocorreu com um ônibus de transporte alternativo intermunicipal, que realizava o trajeto Aracaju/Tomar do Geru e próximo a Santa Luzia do Itanhy, na BR 101, tombou.  Rita Angélica faleceu no local. Segundo informações da família, Rita seguia para o município de Tomar do Geru, onde passaria o feriado.

PRF

A assessoria de comunicação da PRF explica que o prazo para que o documento seja elaborado é de 10 dias. E de acordo com a complexidade do ambiente este prazo poderá ser prorrogado para mais 10. “Por conta de provas técnicas, este prazo poderá ser prorrogado. Mas se o prazo de 20 dias não for o suficiente, ele poderá ser ampliado por mais tempo. Pronto, o laudo será entregue aos envolvidos no acidente”, explica o assessor da PRF Queiroz Souza.

Por Eliene Andrade

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais