Família de idosa denuncia hospital por negligência

0

Maria de Lourdes foi atropelada, mas faleceu ao chegar no Huse (Fotos: Portal Infonet)

Uma família está inconformada com o tratamento dado a uma idosa de 82 anos que faleceu vítima de atropelamento no município de Porto da Folha no último sábado, 11. “Ela foi levada parecendo um saco de batata”. Esse foi o desabafo feito por familiares da idosa que foi transferida do Hospital Regional Dr Francisco Rollemberg em Porto da Folha para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) dentro de uma ambulância do município, mas sem nenhum profissional da saúde que a auxilia-se.

Maria de Lourdes de Mota foi atropelada quando transitava pela rua Raimunda Xavier, em Porto da Folha. Após ter sido atropelada, o sobrinho da vítima, identificado como Tiago Goes Matos, conta que a tia foi encaminhada ao Hospital Regional Regional do Município, mas que ao chegar na unidade teve que ser removida as pressas ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), devido a gravidade do acidente.

O que revolta a família é que a idosa não teve acompanhamento médico durante o trajeto até o Huse. “Ela foi levada como um saco de batata. Dentro da ambulância do município só estava o motorista, o filho dela e ela. Não tinha se quer um auxiliar de enfermagem. Poderiam ter chamado o Samu para levá-la, mas nem isso fizeram. Minha tia estava com fratura exposta na canela e a clavícula quebrada. Foi uma negligência total o que fizeram com minha tia”, denuncia Tiago.

Acidente

Ainda segundo o sobrinho da idosa, o condutor do veículo também não prestou nenhuma assistência a Maria de Lourdes. “Segundo informações de populares, ela ia atravessar a rua quando o condutor do veículo deu ré e a atropelou. Populares disseram que ele [condutor] estava alcoolizado e que foi embora sem prestar socorro a minha tia. Depois que minha tia deu entrada no hospital de Porto da Folha, o condutor foi lá perguntando se precisava de alguma coisa, mas na hora do acidente não prestou socorro”, conta.

Tiago Goes diz que a tia foi levada para o Huse como um "saco de batata"

Bastante emocionado, o filho da idosa Manoel Messias dos Santos [que o acompanhou até o Huse] desabafa que no local da fratura exposta foi colocado apenas um papelão. “Na perna dela tinha apenas um papelão e assim que ela chegou no Huse quando foram pegar a maca para colocá-la ela morreu”, conta Manoel Messias com os olhos em lágrima.

Esclarecimentos 

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com o Hospital Regional de Porto da Folha pelo número 3349-1296 como consta no site da SES, mas o número é residencial. Com isso, a equipe de reportagem entrou em contato novamente com a delegacia de Porto da Folha e o contato passado por um policial foi o (79) 3349-1394, mas também não conseguimos obter sucesso e nem pelo 3349-1338  do (orelhão).

Também entramos em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde que informou que neste caso, a denúncia quanto à falta de atendimento é de responsabilidade do próprio município.

Foi mantido contato, via telefone, com o prefeito do município Albino Tavares, mas o número dele está na caixa de mensagem. Também tentamos manter contato por um outro celular, mas não conseguimos.

O Portal Infonet continua à disposição da direção do Hospital de Porto da Folha e do prefeito do município caso queiram se pronunciar pelo (79) 2106-8000 ou pelo jornalismo@infonet.com.br

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais