Família diz que corpo de idoso foi enterrado por engano em Capela

0
Família diz que corpo de idoso foi enterrado por engano em Capela (Foto: Ascom/SES)

A família de José Fernando Silva, 70 anos, informou nesta segunda-feira, 14, que o corpo do idoso que faleceu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) foi enterrado por engano no município de Capela. Os familiares estavam desde o domingo, 13, em busca de informações sobre a localização do corpo do idoso.

“O hospital confirmou em uma reunião realizada nesta manhã que o corpo do meu pai foi localizado em Capela. O hospital diz que ele foi enterrado por engano no dia de ontem”, lamenta Neide Almeida, filha do idoso. Ela explica que o pai faleceu neste domingo, 13, no Huse, mas que o corpo não foi encontrado no hospital.

“Assim que meu pai faleceu, disseram para a gente ir ao IML dá entrada na liberação do corpo. Fomos lá no final da tarde de ontem, mas informaram que o corpo dele não tinha sido transferido por causa de um erro na documentação. Fomos novamente ao hospital e eles disseram que meu pai foi entregue para outra família”, resume Neide.

Ainda segundo a filha, a notícia foi terrível. “Queríamos saber onde o corpo do meu pai estava para podermos nos despedir de forma digna. Felizmente hoje de manhã tivemos a resposta. O hospital disse que ele foi enterrado no lugar de um homem que morreu de Covid-19. Por isso o enterro tinha sido rápido lá em Capela”, diz.

Neide diz ainda que o Hospital se comprometeu em realizar a transferência do corpo para Aracaju ainda nesta segunda para que a família possa realizar o sepultamento.

Huse

Em nota, o Huse informou que abrirá sindicância após admitir troca de corpo de idoso. De acordo com a unidade hospitalar, houve falha no procedimento de liberação do corpo ao não seguir o protocolo de conferência dos documentos necessários para a entrega do óbito, o que contribuiu “para a ocorrência constrangedora e inaceitável”.

Ainda segundo o Hospital, a família de uma das pessoas que veio a óbito reconheceu o outro corpo como sendo do seu familiar, o que colaborou para a troca. “Mesmo reconhecendo o erro administrativo, o Huse se colocou à disposição para o translado do corpo, além de adotar as providências necessárias para que cada família possa fazer o sepultamento digno do seu ente querido”, ressalta.

por João Paulo Schneider 

A matéria foi alterada às 12h40 para acréscimo do posicionamento oficial do Huse.  
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais