Familiares protestam contra impunidade em morte de jovem

0

Familiares e amigos levaram cartazes e faixas à praça da Juventude (Fotos: Portal Infonet)

Mãe de Jonathan sustenta foto do acusado e pede justiça

Advogado de acusação mantém-se otimista sobre prosseguimento do processo

Familiares e amigos do jovem Jonathan da Silva Barros, vítima de homicídio no dia 13 de abril, foram às ruas pedir justiça e protestar contra a impunidade. Em manifestação ocorrida na manhã deste sábado, 15, no conjunto Augusto Franco, os participantes convocaram as autoridades e fizeram um apelo à população. Laerte Alves Pereira, autor confesso do crime, permanece em liberdade, motivando a revolta entre os familiares.

Ana Paula da Silva Cruz, mãe de Jonathan e organizadora da manifestação, relembra a motivação do crime que vitimou seu filho único. “Esse senhor tirou a vida de um rapaz jovem e trabalhador simplesmente por que ele estava lavando as mãos. Além de insultar meu filho verbalmente, ele ainda desferiu cinco tiros contra Jonathan. Por ter entregado a arma do crime e assumido a culpa, ele está nas ruas. Nós cobramos que as autoridades tomem as providências devidas. Nada supera a dor da perda, mas que a justiça seja feita”, expõe.

Gerusa da Silva, avó de Jonathan, manifesta sua indignação. “Eu não me conformo. Ser assassinado por estar usando uma água que todo mundo paga? Ele se aproveitou do meu neto, só por que ele era um jovem frágil e pobre. Se a vítima fosse filho de rico, este criminoso já estaria preso. A gente não pode fazer justiça com as próprias mãos, então estamos esperando a justiça de Deus”, afirma.

O advogado de acusação Armando Batalha Júnior contesta a decisão do juiz Isaac Costa Soares de Lima, substituto da 8ª Vara Criminal da Comarca de Aracaju, a respeito do caso. “Causa estarrecimento o fato de que o senhor Laerte permaneça em liberdade, sendo que autores de crimes considerados de menor gravidade estão presos. O Ministério Público requereu a prisão, mas o juiz não o julgou procedente. O processo ainda está no início, e nós mantemos a confiança de que a juíza titular, doutora Soraia Gonçalves de Melo, irá reconsiderar a decisão”, diz.

Armando Batalha salienta que o processo se encontra em período de pré-instrução, e que o período de ouvidas deverá ser iniciado em breve. Com relação ao paradeiro do acusado, o advogado informa: “temos informações de que o senhor Laerte se encontra fora da cidade, mas não até o momento não está foragido. Sob nosso entendimento, além de declarado culpado pelo crime de homicídio qualificado, o réu deverá responder pelo crime de homicídio qualificado. A partir das ouvidas, o decurso do processo deverá tomar novos rumos”.

Por Nayara Arêdes e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais