Famílias do Motu reclamam de problemas de saúde

0

Local está inviável a moradia
Abandono e sem condições de moradias é como se encontram as famílias do Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (Motu), que estão em uma ocupação há mais de 15 dias, localizada em uma área industrial às margens de uma estrada de terra no município de Nossa Senhora do Socorro.

As 287 famílias ainda permanecem na ocupação e muitos reclamam que as condições de saúde já não é a mesma de antes de ocuparem os barracos. É o caso da dona de casa Janaina dos Santos Souza, que já foi parar em uma unidade de saúde devido as precárias condições do local.

Janaina dos Santos diz que já foi parar no hospital com problemas de alergia
“Tenho alergia e fui parar no hospital com febre e vômito. Aqui a poeira é constante e o frio da noite piora a minha situação. Com as chuvas, os barracos inundam e fico aqui ilhada e com falta de ar devido a poeira. A situação só não é maior, porque só mora aqui eu e meu marido”, desabafa a moradora.

Devido aos problemas de saúde, alguns já pensam em deixar as moradias, como afirma a senhora de 56 anos, Maria Aparecida. “Não sei como vou continuar aqui, porque tenho problemas de pulmão e de fígado, mas infelizmente não tenho para onde ir. Sem contar os vários insetos e na falta de alimentos pra muitos moradores”, diz.

Além das precárias condições do local, as famílias reclamam que existem pessoas que estão tocando fogo nos barracos. “Estamos fazendo vigília dia e noite, porque já tocaram fogo em alguns barracos. Não sabemos quem é quem está fazendo isso, mas com certeza não querem que a gente

Dona Maria Aparecida pensa em deixar o barraco
lute pelos nossos direitos”, declara a moradora Vilma Maria.

Cadastro

De acordo com um dos coordenadores do movimento, Raul de Sena, o cadastro das famílias já foi feita pelos moradores, faltando ser levado para a prefeitura de Socorro, através da secretaria de ação social.

Ainda segundo Raul de Sena, em uma reunião realizada na última sexta-feira, 4, entre os representantes do movimento e o secretário de Estado da Articulação Política e Relações Institucionais, Chico Buchinho, ficou definido que haverá uma reunião entre o governo do Estado e representantes do movimento. “O governo do Estado está solícito em nos receber o que acredito que seja no mais tardar na sexta-feira”, informa.

Comentários