FAP lança Rede Sergipe de Tecnologia

0

Marcos Wandir e Josenito
Oliveira

Foi lançada agora há pouco a Rede Sergipe de Tecnologia – RST. A responsável pela implantação da rede é a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Sergipe – FAP-SE. A RST está associada à Rede Brasil de Tecnologia – RBT – e deve criar uma conjuntura de desenvolvimento tecnológico auto-sustentável em Sergipe, através da articulação entre setor público e privado, com o envolvimento de instituições de ensino, empresas do setor industrial e de serviços, e órgãos privados ou públicos.

 

As redes de tecnologia são uma forma de mobilizar diversos setores da sociedade no desenvolvimento de novas tecnologias. Através do estímulo à pesquisa, é promovida a capacitação tecnológica. O resultado é o crescimento econômico e social, além da diminuição das importações de bens e serviços e a agregação de valor à produção nacional para exportação. Com a criação de tecnologia própria, diminui-se a necessidade de compra de técnicas desenvolvidas internacionalmente.

 

Além disso, a Rede Sergipe está associada à Rede Brasil. A segunda foi iniciada em julho de 2003 pelo Governo Federal. No primeiro ano de atuação, a RBT priorizou os setores de petróleo, gás natural, energia e mineração. A partir de 2004, o foco do programa também foi direcionado para o agronegócio.

 

O mesmo objetivo tem o Programa de Apoio à Inovação nas Empresas Sergipanas – Inova-SE. O programa é desenvolvido pela FAP-SE, sendo vinculado à Secretaria Estadual do Planejamento e da Ciência e Tecnologia e à Financiadora de Estudos e Projetos – Finep. O programa conta com a participação do setor privado, tendo o envolvimento de um pesquisador – podendo este ser um sócio, funcionário, consultor ou o próprio proprietário da empresa.

Pesquisadores sergipanos
ganham aliados

 

De acordo com Marcos Wandir, diretor-presidente da FAP-SE, mais de 20 empresas já estão envolvidas em cada uma das redes temáticas da RST. Uma delas é a InfoNet. A empresa, que presta serviços na área de Internet, faz parte da Rede Sergipe de Tecnologias da Informação, que tem por objetivo inserir Sergipe no contexto nacional e internacional de tecnologias desse tipo.

 

“Angariar empresas para participar do projeto é um trabalho de articulação que envolve muita negociação. Não é fácil convencer o empresário de que ele vai ser beneficiado porque as empresas privadas não têm ainda, em Sergipe, a cultura de investir em conhecimento”, disse Wandir.

 

Tanto para Marcos quanto para Josenito Oliveira, gerente do Programa de Inovação Tecnológica – Proint – e secretário executivo da Rede Sergipe de Tecnologia, o primeiro benefício que o empresário pode ter é o fato de que ele vai descobrir como resolver problemas que lhe parecem únicos e exclusivos de sua organização, em conjunto com outras empresas que também apresentam as mesmas dificuldades.

Redes devem produzir mais
conhecimento para Sergipe

 

O diretor-presidente informou ainda que o encontro é uma forma de aproximar as empresas e instituições de ensino da sociedade. “Estamos procurando investimentos para a sociedade e tudo o que possa trazer retorno para ela, criando ações concretas e procurando mudar a cultura empresarial em Sergipe, tanto com a RST quanto com o Inova-SE”, comentou. Já Josenito agradeceu o apoio da InfoNet e o trabalho de divulgação da Rede que vem sendo desenvolvido por parte da empresa.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais