Feira de Agricultura Orgânica é promovida no Dia Mundial da Alimentação

0

Produtos orgânicos proporcionam melhor qualidade de vida
A alimentação dos brasileiros não é considerada saudável, já que cada vez mais a cultura do fast-food é incorporada na alimentação de crianças, jovens e adultos. Para falar sobre o direito à alimentação e a importância dos alimentos orgânicos, o Departamento de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Deagro), em parceria com o Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional, realizou durante todo o dia de hoje, 16, na praça Fausto Cardoso, a Feira de Agricultura Orgânica.

 

Em entrevista ao Portal Infonet, o técnico agrícola do Deagro, Paulo Alves, fala sobre o direito à alimentação e a importância de uma vida saudável nos dias atuais.

 

 

Paulo Alves é técnico do Deagro
Portal Infonet – Como o senhor analisa o Dia Mundial da Alimentação em um país com pessoas que ainda passam fome?

Paulo Alves – A alimentação é um direito de todo indivíduo e um dever do Estado. Se ainda há pessoas que passam fome no nosso país é por que há algum problema nas prioridades do Governo. O dia de hoje serve não só para lembrar deste fato, mas também para alertar as pessoas sobre a qualidade da alimentação a que estão sujeitas nos dias de hoje. Vivemos um verdadeiro caos alimentar, com muita coisa artificial e quase nada natural. Esse também é um grave problema.

 

Infonet – Quais seriam as soluções?

PA – A primeira seria o estabelecimento de políticas públicas capazes de fortalecer a agricultura familiar, agricultura do pequeno proprietário, que obtém o produto através de sua própria mão-de-obra. A segunda é qualitativa e representa a contribuição dos nossos governantes no apoio ao cultivo orgânico, sem agrotóxicos, sem investimentos artificiais para que se melhore a qualidade de vida da nossa população.

 

Infonet – A qualidade de vida no que se refere à alimentação mudou nos últimos anos?

PA – Claro. Antes as pessoas comiam, basicamente, o que plantavam e eram esses os produtos mais vendidos. Com o passar do tempo e com a contribuição da cultura alimentar norte-americana, parece que tudo tomou rumos descontrolados. Hoje é comum ver crianças se alimentando de sanduíches

 

Infonet – Qual a importância dos alimentos orgânicos?

PA – Os alimentos orgânicos representam uma grande contribuição para a melhoria da saúde, pois são produzidos naturalmente e têm seus efeitos nutricionais atendidos de forma satisfatória. Já foi comprovado cientificamente que a alimentação é um dos fatores de maior relevância na longevidade de alguém. Quanto menos agrotóxicos houver na comida, menores serão as chances de um envelhecimento precoce e de adquirir doenças como o câncer, por exemplo.

 

Infonet – Se esse tipo de alimentação é tão importante, por que é mais cara que as não-orgânicas?

PA – A alimentação orgânica encarece porque é um trabalho manual, que não dispõe de máquinas nem agrotóxicos. Quando um pequeno agricultor planta alface, por exemplo, como ele não se utiliza de mecanismos artificiais, o número de larvas que se hospedam em sua plantação é muito grande. Logo, há uma redução na relação plantio/colheita. Só com o passar do tempo é que a plantação vai ficar adequada e adaptada porque surgem pragas que se alimentam apenas de outras pragas e outras que não adquirem mais resistência ao local. Por conta de todo esse trabalho manual, o produto final é mais caro do que o que compramos nos supermercados.

 

Infonet – Qual o papel desempenhado pelo Deagro no que se refere à alimentação orgânica? 

PA – Em todo o Estado, temos 38 escritórios com profissionais especializados. São veterinários, técnicos agrícolas, engenheiros agronômicos e assistentes sociais que prestam todo tipo de para que eles possam desenvolver novas técnicas de plantio, melhorando a qualidade de seus resultados. É um trabalho de resultado gradativo, mas de grande importância para a sociedade como um todo. Assistência aos pequenos agricultores.

Comentários