Formação de novos policiais começa nesta segunda, 14

0
Comando da Polícia Militar participará de Aula Inaugural (Foto: divulgação)

Até o final deste ano, Sergipe contará com um aumento no efetivo da Polícia Militar do Estado (PM/SE). Serão cerca de 1.200 novos homens e mulheres a mais, selecionados no último concurso da PM, que estarão nas ruas para oferecer maior segurança aos sergipanos. Na próxima segunda-feira, 651 destes candidatos selecionados iniciarão o Curso de Formação de Soldado da Polícia Militar, com uma carga horária obrigatória de 1.200 horas/aulas e duração estimada de cinco meses. A intenção é que esses novos policiais formados já iniciem suas atividades como estagiários em setembro e que o curso seja finalizado em dezembro, agregando à segurança pública do Estado.

A contratação dos novos integrantes da corporação militar está inserida no Planejamento estratégico da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), que visa reforçar o efetivo para garantir a tranquilidade das famílias sergipanas. A iniciativa do Governo do Estado também se adequará à estratégia definida no programa Sergipe Mais Seguro, privilegiando as 12 localidades do estado com maior incidência da criminalidade, dentro dos objetivos do programa Brasil Mais Seguro. Para tanto, os candidatos passaram por um rigoroso processo seletivo, obedecendo a Constituição, através da realização de concurso que envolveu quatro etapas: prova objetiva, investigação social, teste de aptidão física, e avaliação psicológica.

Curso

Para que a população possa ter esse efetivo o mais breve possível exercendo suas atividades, uma inovação importante, de acordo com o comandante, é que os alunos passarão pelo curso de formação em período integral, com aulas pela manhã e tarde, diferentemente de anos anteriores, onde as aulas ocorriam em apenas um período. Durante essa formação, os alunos já estarão realizando estágios supervisionados, se qualificando para as ações de segurança pública.

“Tínhamos uma primeira pré-disposição durante as formações anteriores, de formarmos durante o período de dez meses, entretanto essa formação era de meio expediente. A Polícia Militar adotou uma nova postura, fazendo a formação durante dois expedientes, ou seja, o tempo que nós teríamos de dez meses ele passa a ser reduzido evidentemente para cinco meses, sem com tudo afetar a carga horária que nós temos que cumprir que é de 1.200 horas para a formação do Policial Militar. E após esses cinco meses eles já estarão nas ruas, durante este período de cinco meses eles estarão fazendo estágio supervisionado, estarão aprendendo as atividades de rua. Eles irão passar pelo período básico, no qual eles recebem todas as orientações básicas de como se portar, em um segundo momento eles já iniciam a realização de estágios para as atividades de polícia, conhecendo quais são as atividades, toda as situações que eles irão enfrentar no dia a dia para, ao final do curso serem declarados policiais militares, soldados da Polícia Militar, e com isso, iniciarem suas atividades operacionais tanto na capital, quanto no interior do estado. Todo o planejamento já está sendo feito para redistribuição desse efetivo, para que a gente possa, sem dúvida alguma, dar para a população uma maior sensação de segurança, e não só sensação, como a gente costuma dizer, mas a segurança  efetiva para toda população sergipana”,  justificou o comandante Maurício Iunes.

As aulas iniciadas na segunda, 14, obedecerão ao currículo da formação do Policial Militar, adotando matérias que são de orientações da própria Secretaria Nacional de Segurança Pública, dentro do contexto de uma nova visão de polícia. Os alunos terão aulas desde Direito Penal, Direito Penal Militar, Direito Processual, Direito Constitucional, Ordem Unida, Tiro, Educação Física, Conhecimentos Gerais, Técnicas de Abordagem, Técnicas Policiais Militares, até Defesa Pessoal, englobando matérias práticas e teóricas.

Aula inaugural

Na aula inaugural dos PMs formandos, o Comando da Polícia Militar dará um breve relato do que é a Polícia Militar e quais são as suas finalidades para os novos alunos e seus familiares. Segundo o comandante Iunes, é importante que tanto os alunos quanto os seus familiares entendam que ser um policial militar não é simplesmente um emprego, é muito mais, é uma profissão.

“Uma profissão que tem que ser realizada com dedicação, objetivo, que não é um objetivo pessoal e sim coletivo, pois nós somos policiais militares para atender a população, quem pensa muita vezes que ingressa em uma corporação com o interesse pessoal, o interesse não é esse. O  interesse é coletivo, então esse vai ser um detalhe que vai ser muito tocado durante essa aula inaugural, junto a apresentação do que é a nossa corporação e como ela consegue sobreviver  a mais de 170 anos. Em todas as situações a Polícia Militar, durante a história do Brasil, passou por todos esses degraus, ela faz parte da democracia, porque nós somos, sem dúvida alguma, responsáveis por mantermos esse Estado Democrático de Direito. Sem a instituição Polícia Militar a sociedade não teria essas condições de termos todas essas liberdades que temos hoje, então, é através desses homens e mulheres, do compromisso dessas pessoas que poderemos ter um estado melhor, um país melhor, com muito trabalho, porque a  criminalidade no nosso estado e país tende a aumentar. Precisamos ter mudanças legislativas urgentes, para que, nós, policiais, possamos oferecer, cada vez mais, uma segurança mais qualificada. Temos também que,  cada vez mais, aperfeiçoarmos, não só a instituição Polícia Militar, mas  que fique, também, esse pensamento para a sociedade, a ampliação do conhecimento, da nossa legislação, porque caso contrário se torna difícil almejarmos um país tão democrático como nós desejamos”, declarou Iunes.

Durante o período do curso de formação, o futuro policial receberá uma bolsa de R$ 1.040,68 + 30% equivalente a periculosidade, o que representa 50% do salário de um soldado de 3ª classe. Após esse curso, o militar passará a ganhar R$ 2.081,37, acrescido de 30% de periculosidade, totalizando R$ 2.705,78.

Com informações da ASN

Comentários