Fórum das Entidades Sindicais dos Servidores Federais é rearticulado

0
No encontro, dirigentes sindicais avaliaram o cenário político do país e destacaram o papel fundamental da unidade entre as categorias. (Foto: Ascom/Adufs)

Diversas entidades representativas das servidoras e dos servidores públicos federais de Sergipe se reuniram na manhã de sábado, 15, no auditório da Central Única dos Trabalhadores (CUT), com o objetivo de rearticular o Fórum Estadual das Entidades Sindicais dos Servidores Públicos Federais de Sergipe (FOESPF). No encontro, dirigentes sindicais avaliaram o cenário político do país e destacaram o papel fundamental da unidade entre as categorias para conter as ameaças ao serviço público que tramitam no Congresso Nacional.

Durante a abertura da reunião, o professor Airton de Paula Souza, ex-presidente da ADUFS, ressaltou a importância política da refundação do Fórum. Para Airton, que tem participado diretamente das mobilizações populares em Brasília em defesa do serviço público e contra a retirada de direitos “tendo em vista a conjuntura sombria vivida pelos servidores em razão dos ataques contínuos do governo genocida aos serviços públicos, a construção de uma agenda de mobilização nacional e também nos diversos estados é estratégica”.

O agravamento das desigualdades sociais e o crescimento da fome e do desemprego no Brasil também foram destacados como uma das mais graves ameaças à classe trabalhadora brasileira. Nesse sentido, as entidades enfatizaram a importância de continuidade das ações de solidariedade de classe e de defesa do serviço público, que é fundamental sobretudo para as pessoas mais vulnerabilizadas.

“É importante conversar com a sociedade sobre o que representa a Saúde Pública, a Universidade Pública. Não é fácil desmistificar a ideia incutida pelo governo federal de que os servidores públicos são “vagabundos” que causam prejuízos ao Brasil, mas precisamos falar sobre isso”, frisou Gentil Melo, coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação da UFS (Sintufs).

Entre os diversos desafios enfrentados em um contexto político de crise sanitária e ataques aos direitos trabalhistas, devem ser pautas do calendário de mobilização dos servidores o arrocho salarial, a nefasta Reforma Administrativa (PEC 32), a construção de uma greve unificada dos servidores, a luta pela revogação da Emenda Constitucional 95, que congelou os gastos públicos durante 20 anos,d entre outras.

De acordo com o calendário nacional proposto pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), uma rodada de assembleias deve acontecer entre janeiro e fevereiro para definir os próximos passos da luta coletiva em defesa dos serviços públicos. Participaram da reunião em Sergipe as seguintes entidades: CUT, CTB, UGT, CSP-CONLUTAS, SINDIPREV, SINASEFE, SINTUFS, SINTSEP, SINTECT e ADUFS.

Agendas confirmadas para janeiro e fevereiro

18/01: dia de entrega da pauta geral do movimento ao Ministério da Economia, com atos e paralisações.

24/01 – Dia Nacional do Aposentado: ato no Calçadão da João Pessoa (Aracaju), com tenda do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social no Estado de Sergipe (Sindiprev) para atendimento à população sobre os serviços do INSS, além de serviços como monitoramento de pressão, glicemia, etc. que serão ofertados pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em Sergipe (Sintect).

02/02: atos públicos em todos os estados e em Brasília, em razão da reabertura dos trabalhos no Congresso Nacional.

14 a 25/02: jornada de lutas com implementação do Estado de Greve.

Fonte: Assessoria de Comunicação ADUFS

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais