Funcionários do TJ realizam ‘Forró da Indignação’

0
Sindijus mobiliza servidores com forró e pamonha (Fotos: Sindijus)

Distribuição de comidas típicas do período junino e uma assembleia geral marcaram o Forró da Indignação promovido pelo Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe (Sindijus). Sindicalistas se concentraram na frente do Fórum Gumersindo Bessa e as lideranças sindicais conversaram com os servidores, que demonstram indignação com a diferença entre os valores do auxílio alimentação pagos aos juízes e servidores.

O presidente do Sindijus, Plínio Pugliese, explica que, enquanto o auxílio alimentação dos juízes gira em torno dos R$ 710, os demais servidores recebem o mesmo benefício em valores que variam entre R$ 190 a R$ 468. O Sindijus defende a equiparação dos valores, com base no valor da gratificação concedida aos juízes. “Vamos encaminhar ofício ao tribunal solicitando a equiparação e vamos informar que não queremos pagamento retroativo”, diz Pugliese.

Pugliese: equiparação

Como fonte para pagamento, o Sindijus vai sugerir que o Tribunal de Justiça suspenda o pagamento retroativo que está sendo feito em benefício dos juízes e que este dinheiro seja utilizado para reajustar o auxílio alimentação dos demais servidores. Outra fonte, segundo Pugliese, viria da redução da remuneração dos cargos comissionados. “Tem cargos de R$ 15 mil, enquanto servidores que trabalham com atividades mais complexas ganham R$ 3,8 mil”, diz o sindicalista.

No ofício a ser encaminhado ao TJ, o Sindijus pretende propor que os cargos comissionados estejam na margem da remuneração do analista judiciário, que tem salário de R$ 3,8 mil.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais