Governo autoriza estudos de viabilidade para a nova ponte Aju/Barra

A construção será a segunda ligação entre as cidades de Aracaju e Barra dos Coqueiros (Foto: Moema Costa)

O governador Fábio Mitidieri assinou nesta segunda-feira, 4, a ordem de serviço para estudos de viabilidade da construção da segunda ponte sobre o Rio Sergipe, conectando os municípios de Aracaju e Barra dos Coqueiros.

A construção da nova ponte Aracaju/Barra representa um marco estratégico para o desenvolvimento da região. Além de promover a integração entre os municípios, a infraestrutura visa desafogar o tráfego, estimular o crescimento econômico e facilitar o acesso a serviços essenciais. Com a assinatura da ordem de serviço para os estudos de viabilidade, o governo demonstra seu compromisso em fortalecer a infraestrutura de Sergipe, preparando o terreno para uma conexão viária que impactará positivamente a vida de milhares de cidadãos.

“Hoje, demos um passo importante na nossa aguardada e sonhada nova ponte entre Aracaju e Barra dos Coqueiros, no qual a gente dá a ordem de serviço da primeira fase, necessária, que demanda em torno de um ano e meio, para que seja vencida. A partir daí, temos efetivamente a licitação da obra. Essa fase de viabilidade é uma etapa importante, o investimento de R$ 8 milhões neste momento para dar um pontapé para a aguardada e sonhada nova ponte Aracaju/Barra”, pontuou.

O processo autoriza a contratação dos serviços fundamentais para viabilizar o projeto, destacando o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), Anteprojetos de Engenharia, Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA). A execução da obra será coordenada pelo Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura (Sedurbi) e do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária (DER).

O secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura, Luiz Roberto, ressaltou a importância desses estudos como etapa crucial antes da licitação para a execução da obra. “Essas etapas, que compreendem um estudo de viabilidade técnico-econômica e ambiental e, posteriormente, o estudo de impacto ambiental e o anteprojeto, são necessárias para que a gente possa viabilizar a execução da obra e também determinar o ponto onde a obra será executada, o estudo de tráfico e vários estudos que comprovarão a necessidade dessa segunda  ponte. São três produtos, na realidade; a ordem de serviço hoje, para que a gente possa partir para a segunda etapa, que é a licitação da execução da obra” , disse.

O Consórcio MPB Única e Beck, vencedor da concorrência, assume a responsabilidade de conduzir esses estudos em um prazo de 420 dias, com um investimento significativo de R$ 8.510.000,00. O representante do Consórcio MPB Única e Beck, Ademur Monteiro, se prontificou em tentar reduzir o tempo para os estudos e a utilização de mão de obra local. “Com certeza, vamos priorizar a mão de obra sergipana, uma vez que uma das empresas do consórcio já está há mais de 15 anos atuando em Sergipe. Em relação ao prazo de execução, a gente estima que seja um prazo razoável, levando em consideração toda a complexidade do projeto, porque envolve a parte ambiental, principalmente, porque há vários estudos. Então, demanda um tempo de levantamento topográfico, parte de geotecnologia, e depois desse trabalho, nós vamos tentar reduzir, mas esse prazo foi pré-estudado para se entregar com qualidade e com excelência”, colocou.

 

Com informações do Governo de Sergipe

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais