Greve do Ibama continua e servidores entregam cargos

0

Sede do Ibama em Sergipe
Servidores do Instituto Brasileiro de Recursos Renováveis (Ibama), continuam em greve. Nesta terça-feira, 11, 581 profissionais de fiscalização do país colocaram junto ao Ministério do Meio Ambiente, os cargos a disposição. Em Sergipe, quatro fiscais entregaram os cargos devido à falta de condições de trabalho e ao que classificam como “intransigência do Governo Federal quanto à falta de negociação”.

A greve iniciou no último dia 8 de abril em reivindicação ao Plano de Cargos e Carreira da categoria, que aguarda uma decisão [pode sair ainda nesta quarta-feira, 12], da Justiça quanto à ilegalidade do movimento. “Há cerca de dez dias, o

Alberto Prata: “Ibama ocupava a 14ª posição no país”
Governo Federal conseguiu uma liminar de ilegalidade da greve, a gente recorreu e está aguardando o julgamento do mérito”, explica Carlos Alberto Prata, do comando de greve em Sergipe.

Em março, período da data base da categoria, foram marcadas quatro reuniões em Brasília para discutir a reestruturação da carreira. “Nós tínhamos encaminhado a proposta e já esperávamos do Governo uma contraproposta, mas no Ministério do Planejamento marcavam reuniões a partir das 22h e só terminavam na madrugada sem resolver nada”, ressalta.

Sem estímulo

Os servidores do Ibama afirmam estar sem estímulo, a exemplo do que vem acontecendo no Setor de Licenciamento. “Não existe nenhum tipo de estímulo, pois o Governo só pensa no lado econômico. Nos quadros, não somente do licenciamento, temos mestres e doutores que estamos perdendo pela desvalorização vigente na casa e não porque estão saindo para fazer mestrado, na verdade conseguem passar em outros concursos melhores ou vão para a iniciativa privada, uma vez que não há nenhum tipo de valorização à excelência no órgão”, enfatiza Prata, lembrando que os servidores do Ibama não recebem periculosidade, insalubridade, equiparação no quadro de trabalho e salários compatíveis com órgãos a exemplo da Agência Nacional de Águas.

Desmonte

Carlos Alberto Prata disse ainda que “o Governo tenta passar para a sociedade que a gente ganha bem, mas esconde a falta de importância à área ambiental. Os servidores são pessoas que entram através de concurso e lutam pela valorização da categoria. Para se ter uma idéia, o Ibama era considerado o 14º melhor órgão do país e agora está perto da sectagésima posição. É um sinal claro do desmonte e desvalorização e nós precisamos mostrar à sociedade a real situação  desse momento, sem quebrar a ética”, enfatiza o integrante do comando de greve.

Por Aldaci de Souza

Obs: A matéria foi alterada às 18h para acréscimo de informações 

Comentários