Greves não comovem o governo

0

Servidores do Detran encerraram o movimento grevista (Fotos: Portal Infonet)

Várias categorias já foram às ruas para mostrar insatisfação com a política salarial dispensada aos servidores públicos em Sergipe, tanto no âmbito estadual quanto nos municípios. O reajuste linear de 5,7% para todas as categorias deixou os servidores insatisfeitos, até porque muitas categorias almejavam negociações em paralelo com o governo que não se comoveu e alegando arrocho nas contas do Estado fez poucas concessões neste ano para seus trabalhadores.

Os funcionários do Departamento de Trânsito de Sergipe (Detran) que deflagraram greve na semana passada retomam às atividades nesta quinta-feira, 26, após entendimentos com o Governo. Pelo acordo o Sindicato será reconhecido pelo Governo e os servidores que forem filiados ao Sindicato terão 2% do salário em desconto na folha para a manutenção do Sindicato. Além disso, um projeto de lei que cria uma gratificação de R$ 260 para os servidores será encaminhado à Assembléia Legislativa para apreciação e votação dos deputados e em seguida será enviado ao governador Marcelo Déda para ser sancionado.

Os professores do Estado rejeitaram proposta do Governo, cruzaram os braços e permanecem em greve por tempo indeterminado. Na semana passada, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese) já protocolou ação judicial contra o Governo do Estado. Nesta quarta-feira, 25, a categoria reuniu em nova assembleia geral para definir os rumos da greve e por unanimidade e nesta quinta-feira, 26, pela manhã os professores voltam a fazer vigília na Assembleia Legislativa a partir das 8h. Os agentes de medidas sócio-educativas do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) também se mobilizaram e permanecem aguardando reposta do Governo do Estado, enquanto os delegados conseguiram um aumento de 5%, porém esse percentual é relativo a um aumento prometido pelo governo no ano em 2008 e que os delegados haviam rejeitado em função da regularização de uma gratificação de 40%.

De acordo com o governo, o grande impasse que influi na negociação com as categorias é o aperto econômico que o Estado passa. O funcionalismo não acata as justificativas e o clima de insatisfação permanece. Os problemas, de acordo com os diversos sindicatos, são antigos, e a pauta de reivindicações entre os sindicatos são basicamente as mesma: melhores condições de trabalho e reajuste dos salários.

Manifestação do Sindetran e Sintel

Ceac

Em meio a onda de protestos, os servidores do Ceac também aderiram às reivindicações, a categoria quer principalmente aplicação de uma remuneração específica para os que trabalham no Ceac, para os que atuam no Ceac Móvel e o fechamento das unidades aos sábados.

A Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) enviou nota explicando que considerou precipitada a decisão Sintrase de paralisar as atividades dos servidores lotados nas unidades do Ceac. Mas na sexta-feira, 20, a secretaria se reuniu com integrantes do sindicato para avaliar as reivindicações da categoria. Os servidores do Ceac suspenderam a paralisação e voltaram a trabalhar normalmente nesta segunda, 23. Na reunião, ficou acordado que, em relação ao fechamento dos Ceac´s aos sábados ainda não foi definido, mas quem trabalhar no sábado vai folgar no meio da semana. O abono das faltas durante as paralisações foi aceito também foi aceito pela secretaria, com relação aos problemas de gestão do Ceac Rodoviária foi pedido um prazo de 15 dias para resolver as questões.

Agentes penitenciários

Agentes se reunirão com governo para tratas das reivindicações

Há quatro anos os agentes de medidas socioeducativas da Fundação Renascer lutam pelo reajuste da categoria. A afirmação é do presidente do sindicato Eziel Oliveira que fala sobre a greve da categoria e diz que a falta de um plano de carreira tem prejudicado os profissionais. A categoria já fez diversas paralisações para tentar chamar atenção do governo.

Eziel Oliveira informou que está agendado uma reunião entre o sindicato e as Secretarias de Estado da Articulação e com a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social. A reunião acontecerá na quinta-feira às 15, e na ocasião o governo irá lançar uma proposta de reajuste para a categoria. No dia 27, os agentes farão uma assembleia para discutir a proposta, e dia 30 todos voltam a se reunir para definir se acatam ou não.

Ipesaúde

Os servidores do Ipesaúde decidiram em assembléia geral na manhã desta quarta-feira, 25, fazer uma paralisação de advertência na próxima terça-feira, 31. A categoria reivindica desde 2007 a implantação do Plano de Cargos Carreira e Vencimentos (PCCV). Representantes dos Sindicatos dos Médicos, dos Dentistas, dos Enfermeiros e dos Servidores Públicos Estaduais terão no mesmo dia, uma reunião com o subsecretário de de Articulação Sindical, Chico Buchinho, o secretário chefe da Casa Civil, Jorge Alberto, o secretário de Planejamento e Gestão, Oliveira Júnior e o presidente do IPES, Vinicius Barbosa.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais