Guardas de Laranjeiras reclamam de condições de trabalho

0
O alojamento não têm beliches e está em condições precárias (Fotos: Rosivaldo Santos/Associação da GM de Laranjeiras)

A Associação dos Guardas Municipais de Laranjeiras está insatisfeita com o tratamento dado à categoria pela Prefeitura do Município. De acordo com o presidente da entidade, Rosivaldo Santos, a situação de descaso envolve as condições de trabalho destes profissionais, a exemplo do alojamento que está em condições precárias.

De acordo com Rosivaldo Santos, denúncias a respeito das condições de trabalho dos guardas já foram feitas em outras ocasiões, mas a situação não melhorou. “Queremos que a comunidade de Laranjeiras tenha conhecimento do que nós guardas estamos passando”, disse o presidente da associação.

Rosivaldo reclama da estrutura onde os guardas ficam em Laranjeiras. “Nós, que trabalhamos no ostensivo, não temos um alojamento digno, pois faltam beliches para descansarmos, e nós descansamos no chão. Não tem armários para guardar nossos pertences e a água que bebemos vem de poço”, explicou o presidente.

As condições da água do local também são precárias 

Outra reclamação dos guardas municipais é de que a violência em Laranjeiras está aumentando cada vez mais. “Temos poucos guardas, o povo está refém dos bandidos. Os guardas que trabalham na rua só tem a capa do colete, não tem o colete completo, ou seja, falta segurança pra quem trabalha também”, disse Rosivaldo.

Prefeitura

De acordo com o secretário adjunto de segurança do município de Laranjeiras, Gilberto Madureira, as acusações não procedem. O secretário afirmou que a segurança do município de Laranjeiras é dever do estado, enquanto a guarda municipal cuida da segurança de escolas e hospitais, por exemplo.

“Querem comparar a guarda da capital com a do interior, isso não dá. A Guarda Municipal de Laranjeiras não é uma guarda armada, como a de Aracaju. Em relação ao colete mesmo, não depende do município e sim do exército. Devido a uma decisão do exército, apenas a capa, sem as placas de aço, são usadas pelos guardas. O exército não liberou o uso, pois entendeu que a guarda de Laranjeiras não tem apresenta tanta periculosidade”, explicou o secretário.

Sobre as melhorias de condições de trabalho, Gilberto Madureira informou que sempre haverá servidores insatisfeitos e que não é obrigação do município fornecer o alojamento devido à carga horária dos guardas em Laranjeiras. “Não dá para comparar com a guarda de Aracaju e querer as mesmas coisas. Na verdade, não tem nem direito de ter esse alojamento justamente pela carga horária que é inferior”, disse o secretário.

Por Helena Sader e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais