Justiça condena homem que matou mulher a machadada em Moita Bonita

0
Juíza estabelece sentença após jurados votarem pela condenação do réu (Foto: Pixabay)

Foi condenado a mais de 23 anos de prisão o homem que matou a companheira com golpes de machadadas, crime ocorrido em 2017 no povoado Campo Grande, no município de Moita Bonita, e caracterizado com feminicídio. O acusado confessou o crime e foi submetido a júri popular. José Edivaldo dos Santos Santana é acusado de aplicar os golpes na ex-companheira Marja Etiane Carvalho Gonçalves, que na época estava com 17 semanas de gestação.

O corpo de jurados votou pela condenação do réu e a juíza Patrícia Cunha Paz, da Comarca de Malhador, que presidiu a sessão de julgamento, considerou como causa de agravamento da pena o fato do feminicídio ter sido cometido contra uma vítima gestante e praticado na frente do filho dela, que tinha apenas oito anos de idade.

Réu confesso, Edivaldo Santos teve prisão preventiva decretada e foi preso no dia 11 de dezembro de 2017, dois dias após o crime. Foi classificado como atenuante à pena o fato do réu ter confessado a autoria do crime, mas a pena acabou aumentada em função da gestação da vítima e da presença do filho dela na cena do crime. E, ao final foi anunciada a sentença: 23 anos, sete meses e 15 dias de reclusão, que deve ser cumprida em regime fechado.

O julgamento foi encerrado e o processo entra na fase de apelação criminal, sem o réu ter tido assegurado, pela juíza, o direito de aguardar em liberdade. Portanto, o acusado permanece preso.

por Cassia Santana

 

Comentários