Lagarto terá usina de processamento de resíduos

0
Usina de processamento em Lagarto será semelhante a de Unaí (MG) (Foto: Portal Infonet

Nacionalmente, e por que não dizer mundialmente, a cidade de Lagarto será vitrine quando se falar em reaproveitamento de lixo urbano. Será assinada na próxima terça-feira, 3, a parceria para a construção da primeira usina do norte-Nordeste e a segunda no Brasil, a pioneira foi em Unaí (MG), de processamento de resíduos para a energia limpa. A assinatura será entre Railton Faz Núcleo de Tecno-Ambiental de Desenvolvimento Industrial, através do Projeto Natureza Limpa, e um empresário nordestino.

Com o valor de R$ 5 milhões, a usina para a carbonização de lixo começará a ser construída no início de maio, em uma área de cinco mil m², no povoado Itaperinha, a dois quilômetros da sede municipal e dentro de 150 dias e gerará cerca de 40 empregos diretos e mais de 200 indiretos. Processará (carbonizará) cinco toneladas de lixo por hora, produzindo carvão suficiente para atender uma termoelétrica que produzirá dois megawatts de energia limpa.

Para o proprietário do Núcleo de Desenvolvimento Industrial Railton Lima, a partir dessa usina, Lagarto será a segunda cidade do mundo a exterminar o lixo urbano. “A partir da mesma iniciativa implantada pelo meu núcleo no interior de Minas Gerais, hoje tenho a oportunidade de inserir na minha cidade. Dessa forma, o reconhecimento mundial, quando se falar em reaproveitamento de resíduos, será direcionado para o nosso município”, disse.

A usina conta com o total apoio do prefeito Valmir Monteiro, que comunga com Railton Lima na projeção da cidade de Lagarto, e também do Estado, mundialmente. “Vejo em iniciativas como essa, um modo significativo de contribuir com o meio ambiente, que é o fim dos lixões em nossa cidade, e ainda serem reaproveitados, gerando emprego e renda. Portanto, esta usina de carbonização contribui socialmente e também ecologicamente para toda a população, o que me deixa como cidadão lagartense bastante orgulhoso”, afirmou.

O Projeto Natureza Limpa é a primeira usina brasileira de carbonização de resíduos sólidos para a produção de carvão. Instalada primeiramente na cidade de Unaí (MG), o sistema produz energia para a termoelétrica. 

A matéria-prima para a industrialização do carvão é o lixo residencial, industrial e urbano. Os resíduos podem ser orgânicos, plásticos, pneus, papel, madeira, entre outros, sem necessidade de coleta seletiva. O objetivo é reduzir o impacto ambiental causado pelos lixões e aterros sanitários.

Fonte: Núcleo Railton Faz

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais