Maré alta provoca lâmina d’água em alguns pontos de Aracaju

0

A maré alta, de cerca de 2,3 metros de altura, que já estava prevista para esta segunda-feira, 1º, ocorreu justamente em horário de pico, em Aracaju. Próximo das 18h, a maré começou a subir, o que, pelo horário de maior fluxo na cidade, provocou lentidão no trânsito em alguns pontos em que foi registrada lâmina d’água ocasionada pela alta das águas. No entanto, além do andamento mais lento de veículos, não foram registradas ocorrências mais preocupantes.

A informação da maré alta foi recebida pela Secretaria Municipal da Defesa Social e Cidadania (Semdec), na quarta-feira passada, 24, o que possibilitou que as equipes ficassem previamente em alerta. Assim, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), bem como as empresas municipais de Serviços Urbanos (Emsurb) e de Obras e Urbanização (Emurb) foram comunicadas e se uniram às equipes em alerta.

“A chuva que foi registrada, com previsão de seis milímetros, mas caiu 14 milímetros, não gerou influência sobre a maré alta. Só existe influência da chuva quando a maré já está transbordando porque a rede de captação já correu para os bueiros e não tem por onde a água da chuva escoar, só depois que a água da maré começar a vazar. No entanto, a chuva caiu enquanto a maré estava baixa. A altura da maré alta de hoje chega a transbordar, porém, forma uma pequena lâmina d’água em alguns pontos mais baixos da cidade, por isso, mantemos as equipes nas ruas para prestar auxílio à população caso haja necessidade”, afirma o secretário municipal da Defesa Social e Cidadania, Luís Fernando Almeida.

À frente do monitoramento, a Defesa Civil de Aracaju, ligada à Semdec, esteve alerta durante o final de semana e toda esta segunda-feira, como informou o coordenador do órgão, major Silvio Prado.

“O impacto foi o que estava previsto, de lâmina d’água de mais ou menos entre 20 e 30 centímetros nas vias, o que casou lentidão no trânsito, o que também teve influência do horário de pico, mas nada mais sério. O pico da maré foi às 17h57, foi quando ficamos mais atentos. Em cerca de uma hora, a maré volta à normalidade. Ela passa cerca de trinta minutos no que chamamos de ‘maré morta’, depois que atinge o pico, e depois passa outros trinta vazando, em seguida, começa a diminuir”, esclareceu o major.

Os principais pontos de atenção foram as avenida Acrísio Cruz, Anísio Azevedo , no bairro 13 de Julho, e rua Joventina Alves, no Salgado Filho.

A Defesa Civil estará monitorando a situação e com atenção aos chamados que possam surgir através do serviço emergencial 199, que funciona 24h.

Fonte: AAN 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais