Membros de bando que assaltou Itaú são ex-presidiários

0
Quadrilha foi presa em flagrante em apartamento no bairro Ponto Novo (Foto: SSP)

Agentes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) apresentaram na manhã desta sexta-feira, 12, a quadrilha responsável pelo assalto a uma agência do banco Itaú localizada na avenida Augusto Franco (antiga Rio de Janeiro). O assalto aconteceu na tarde da última quinta-feira, 11. Junto ao grupo foram apreeendidos dois veículos, cinco armas, um colete balístico e o valor em dinheiro de R$ 6354.

Os autores da ação foram identificados como Alexandre Santos Góis, 27, Alex de Melo Santana, 26, Rivando Rodrigues Guimarães, 24, Júlio César da Silva Filho, 26, Weslaines dos Santos Rodrigues, 29, além de um adolescente de 17 anos. No momento da ação, apenas quatro dentre os integrantes da quadrilha estavam no interior da unidade bancária.

O diretor do Cope, Flávio Albuquerque, detalha a trajetória da quadrilha. “Eles planejaram o assalto por que essa agência não tem porta giratória. Prova disso é que, mesmo sendo nova, ela já foi assaltada em outra oportunidade por outra quadrilha. Alexandre e Rivando foram os ‘cabeças’, e já tinham feito um levantamento da agência, inclusive desenhando um croqui do local e da região”, afirma.

Armas, dinheiro, veículos e colete balístico foram apreeendidos junto à quadrilha (Fotos: Portal Infonet)

“À Rivando coube conseguir o veículo para a fuga e estabelecer o local para o qual se dirigiriam após o assalto. O local escolhido foi o apartamento de Júlio César e Weslaines, no barirro Ponto Novo, que fica duas ruas atrás da agência. Convém destacar que Weslaines é prima de Rivando. Por meio de denúncia anônima, a polícia soube da ação e conseguiu localizar a quadrilha quando eles começavam a contar o dinheiro”, completa Flávio.

Entre o material que estava em poder da quadrilha, o colete balístico e duas entre as cinco armas pertenciam aos vigilantes do banco. O Comandante Geral da Polícia Militar de Sergipe, coronel Maurício da Cunha Iunes, afirma que a técnica é usual entre quadrilhas de assalto a banco. “Além de desarmar os vigilantes, eles coletam armas e demais artefatos para estarem melhor aparatados em outra ações”, diz.

O tenente-coronel Jackson, comandante de Policiamento Militar da Capital (CPMC), afirma que a quadrilha foi truculenta durante a ação. “Ao gritar e ameaçar os clientes, eles geram pânico no intuito de tornar as vítimas ainda mais vulneráveis. A agressão psicológica imobiliza os presentes para que eles executem a ação criminosa”, salienta.

Quadrilhas estudaram a região e desenharam um croqui para guiar a ação

Alexandre Santos Góis e Rivando Rodrigues Guimarães são egressos do sistema prisional do Estado, com registros de assalto em suas fichas policiais. Este é o primeiro assalto executado por esta formação da quadrilha, que segundo o Cope já foi completamente desarticulada. A captura do bando envolveu equipes do Batalhão de Choque da Polícia Militar, que patrulharam a região por meio do Grupamento Tático Aéreo (GTA).

Por Nayara Arêdes e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais